Fonética - Ditongo

Olá povo!

Hoje vamos continuar o nosso estudo em Fonética, falando a respeito do Ditongo.

1) DITONGO: é o encontro de uma vogal com uma semivogal numa mesma sílaba.

Os ditongos podem ser classificados em:

1.1) Ditongo Crescente: ocorre quando a semivogal aparece antes da vogal. Lembre-se de que a vogal é mais forte (mais tônica) do que a semivogal (mais fraca). Exemplos: água (vogal: "a", semivogal: "u"), série (vogal: "e", semivogal: "i").

Macete: veja, então, que para ser ditongo crescente, é preciso que a fraca (semivogal) venha antes da forte (vogal), dando ideia de força crescente (da fraca para a forte).

1.2) Ditongo Decrescente: é literalmente o contrário do ditongo crescente. Ocorre quando a semivogal (+ fraca) aparece depois da vogal (+ forte). Ou seja: a força tônica decresce da mais forte (vogal) para a mais fraca (semivogal). Exemplos: herói ("o" é vogal e "i" é semivogal), céu ("e" é vogal e "u" é semivogal), bailarino (o "a" é vogal e o "i" é semivogal).

"BAILARINO" tem um ditongo decrescente




Conclusão: para saber se o ditongo é crescente ou decrescente, basta ver se a semivogal aparece antes da vogal (semivogal para vogal = fraca para mais forte = crescente), ou se aparece depois (vogal para semivogal = forte para mais fraca = decrescente). Outra dica é saber que a semivogal sempre será o "i" ou o "u", enquanto que as vogais serão geralmente o "a", "e" e "o" (possuem som mais forte).

1.3) Ditongo Nasal: como o próprio nome diz, o som é nasal. Para saber se o som é nasal, basta fechar suas narinas com os dedos (como se estivesse sentindo um cheiro ruim) e pronunciar a palavra. Ao dizer "frequente" com suas narinas tampadas, o som mudará drasticamente (vai parecer um pato falando). Deixando as narinas livres, você vai conseguir pronunciar a sílaba "quen" tranquilamente. Logo, "frequente" tem um ditongo nasal.

Geralmente os ditongos nasais são aqueles que aparecem seguidos de "m" e de "n" na mesma sílaba (frequente, quando), são aqueles que levam o acento til (anão, mãe, mão) e o "ui" juntos na mesma sílaba (muito).

Observação:

Além dessas ocorrências, temos também as formas "em", "en", "am", e "ens" em final de palavras.
Exemplo clássico desse caso: "também".

A palavra "também" possui o ditongo nasal "em". Isso acontece porque a consoante "m" dessa sílaba, por estar em final de palavra, tem o som de "ei", como se estivéssemos dizendo "tambei". Portanto, pela característica sonora, dizer "também" é o mesmo que dizer "tambei" e, portanto, temos o ditongo "ei", que em linguagem fonética é representado por [ey], pelos fonemas /e/ e  /y/. Não se esqueça que essa propriedade ocorre com as formas "em", "en", "am" e "ens" em final de palavras.

NINGUÉM inocentou o ladrão. 
(a palavra "ninguém" tem ditongo nasal)





1.4) Ditongo Oral: é o ditongo que não possui som nasal. Se você fechar suas narinas e pronunciar o som, não haverá alteração de voz. Ex: água, leite, etc...

VERBATIM!

Da onde tirei essas imagens?
almazendemensagens.blogspot.com
facebook (diversas fontes)

tags: ditongo, encontro vocálico, fonema, fonologia, blog do gramaticando, gramática

3 comentários:

  1. Deus abençoe ,nossa tudo que preciso estou encontrando aqui muito show .abraços e obrigada .

    ResponderExcluir
  2. Ditongo são duas vogais juntas na mesma palavra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim.

      Na verdade, a rigor, o mais correto é dizer que é o encontro de uma vogal com uma semivogal (na mesma sílaba).

      Excluir

Obrigado por comentar no Blog do Gramaticando!