Redação 12: Coesão e Conjunções


Este é o Gramaticando Redação de número 12



No GR passado, nós falamos de algo muito importante: falamos sobre os clichês. Hoje daremos prosseguimento ao estudo estrutural da redação, falando a respeito da coesão. 

Veja:

Fui à praia. Comprei um sanduíche na praia. Assaltaram-me na praia. Voltei à pé para casa. 

Veja que esse trecho está SEM a tal da coesão. São orações fragmentadas e soltas que poderiam ser organizadas num único período (ao invés de usar três pontos finais, poderíamos usar apenas um). A falta de coesão numa redação significa um texto fragmentado, o que causa a repetição das palavras.

A ferramenta fundamental para garantir a coesão textual são as CONJUNÇÕES. Vejamos alguns exemplos de conjunção:

e, nem, não só... mas também, não só... como também, bem como, mas ainda, mas, porém, entretanto, todavia, contudo, ou, assim, logo, portanto, pois, por conseguinte, por isso, visto que, já que, uma vez que, como, desde que, se, caso, contanto que, desde que, salvo se, sem que, a menos que, conforme, segundo, consoante, embora, apesar, conquanto, posto que, ainda que, mesmo que, quando, enquanto, logo que, desde que, assim que, a fim de que, quando, enquanto, logo que, desde que, assim que... e a lista não para de crescer.

Cada uma dessas conjunções expressa algum tipo de circunstância, que pode ser finalidade, conclusão, acréscimo de ideias, comparação e por aí vai. Não vamos decorar a classificação das conjunções, mas sim ver na prática como elas funcionam.

Voltando ao exemplo, poderíamos reescrevê-lo usando as conjunções. Então, poderíamos escrever assim:

Fui à praia e comprei um sanduíche, mas fui assaltado e, por isso, voltei a pé para casa. 

Veja que esse novo exemplo "flui". Não está fragmentado e usamos a palavra "praia" apenas uma única vez. É esse o poder da coesão: "costurar" o texto, sem deixá-lo fragmentado ou quebrado. Um texto sem coesão é como uma camisa furada.

Portanto, use as conjunções sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário