Verbos (Geral)

Hoje nós vamos falar a respeito dos verbos, uma classe gramatical complicadíssima bem legal e importante.

O grande problema que encontramos ao estudá-los é o fato de eles flexionarem muito (variam demais). Você pode pegar um verbo e conjugá-lo de trocentas maneiras diferentes, sendo que alguns são irregulares e fogem do padrão.

Porém, não se preocupe com isso agora. Nesta postagem, eu vou dar a você uma noção geral dos verbos (é muita informação de uma vez só). Portanto, não se preocupe em tentar entender tudo agora, pois as coisas ficarão mais claras depois.

Definição

Verbos são palavras que expressam ação, como correr, nadar, estudar, pular, vender, comprar, arremessar galinhas na gravidade zero etc... É tudo o que nós ou qualquer pessoa ou coisa pode fazer. Verbos também expressam estado, como por exemplo: "Eu sou muito bonito". "Ser bonito" não é uma ação, mas sim um estado, uma característica temporária ou permanente (no me caso, ser bonito é uma questão permanente). 






FORMAS NOMINAIS DO VERBO

O Infinitivo

Quando o verbo termina em AR, ERIR ou OR nós dizemos que ele está no infinitivo, que é uma forma nominal. Além disso, outra coisa que você precisa saber é: quando um verbo terminar em AR ele será considerado um verbo de 1ª conjugação, quando ele terminar em ER ele será considerado de 2ª conjugação e quando ele terminar em IR ele será considerado de 3ª conjugação.

Nada complicado até aqui, certo?


MERGULHAR
Verbo no infinitivo pertencente à 1ª conjugação (pois terminam em AR)

BATER
Verbo no infinitivo pertencente à 2ª conjugação (pois termina em ER)

CAIR
Verbo no infinitivo pertencente à 3ª conjugação (pois termina em IR)




Observação: O verbo "pôr" e seus derivados (compor, impor, supor, repor, etc..) pertencem à 2ª conjugação, pois a sua forma original é "poer" (termina em ER). Portanto, apesar de eles terminarem em OR, esses verbos pertencem à 2ª conjugação (verbos terminados em ER). 



PÔR 
Caso especial: verbo no infinitivo pertencente à 2ª conjugação (terminados em "er").






O Gerúndio

Acabamos de ver que quando o verbo termina em AR, ER ou IR (além do OR) ele está no infinitivo, que é uma forma nominal. Existe outra forma nominal que é o gerúndio: ele ocorre quando o verbo termina em ANDO, ENDO ou INDO.

MERGULHANDO
Verbo no gerúndio (termina em "ando")

BATENDO
Verbo no gerúndio (termina em "endo")

CAINDO
Verbo no gerúndio (termina em "indo") 

REPONDO
Verbo no gerúndio (termina em "ondo")





O Particípio

Além do infinitivo e do gerúndio, outra forma nominal do verbo é o particípio. O particípio acontece quando o verbo termina em ADO ou IDO (e também "ada" e "ida"). 

MERGULHADO
Verbo no particípio

BATIDO
Verbo no particípio

CAÍDO
Verbo no particípio

Porém, existem alguns verbos que possuem mais de um particípio: é o particípio irregular.

O documento foi imprimido. 
Verbo no particípio regular (terminado em IDO)

O documento foi impresso.
Verbo no particípio irregular (terminado em ESSO). 

Outros exemplos:

Entregar ("entregado" ou "entregue"), acender ("acendido" ou "aceso"), salvar ("salvado" ou "salvo"), matar ("matado" ou "morto").

Os verbos que possuem mais de um particípio são chamados de verbos abundantes.



Acabamos de ver que um verbo pode se flexionar (variar, mudar) de acordo com as suas formas nominais (infinitivo, gerúndio e particípio), como por exemplo: salvar (infinitivo - 1ª conjugação), salvando (gerúndio), salvado (particípio regular) e salvo (particípio irregular).

Agora, os verbos também podem ser flexionados de acordo com o tempo.

O Tempo


O verbo pode ser flexionado de acordo com o tempo. A ação pode já ter ocorrido (passado), pode estar ocorrendo agora (presente) ou vai ocorrer ainda (futuro). 

Para ficar mais chique, a gente chama o passado de pretérito. Logo, os verbos podem ser flexionados no pretérito, no presente e no futuro

O pretérito se divide em: pretérito imperfeito, pretérito perfeito e pretérito mais que perfeito. O futuro se divide em: futuro do pretérito, futuro do presente e futuro do presente composto.

Calma... Como é muita coisa, veremos os tempos numa outra postagem.



Os tempos verbais se dividem no pretérito (ação passada),
no presente (ação que está acontecendo no momento) e no futuro (ação que provavelmente irá acontecer),
como se fosse uma sequência de ações na linha do tempo, como o cachorrinho aí de cima 
que não foi "muito feliz" em sua empreitada. 

A Pessoa

Alguém precisa cantar, vender, partir, comprar, fugir de baratas voadoras e etc... Portanto, precisamos de alguém para fazer os verbos funcionarem. Esse alguém é a pessoa do discurso.

No singular, temos:

1ª Pessoa do Singular: EU
2ª Pessoa do Singular: TU
3ª Pessoa do Singular: ELE (ou ELA)

Essas são as pessoas do singular. Se elas forem para o plural, teremos:

1ª Pessoa do Plural: Nós
2ª Pessoa do Plural: Vós
3ª Pessoa do Plural: ELES (ou ELAS)

Essas pessoas são os pronomes, outra classe de palavras diferente dos verbos.


O Número

Como você acabou de ver na explicação anterior, as pessoas do discurso podem estar no singular (eu, tu, ele) ou no plural (nós, vós, eles). Isso significa que, além de ter pessoa o verbo também tem número (singular ou plural).

O Modo

Além das formas nominais, do tempo, da pessoa e do número, os verbos mudam de acordo o modo em que eles são expressos. Se você usar algum verbo com certeza, então o verbo estará no indicativo. Se você disser um verbo sem certeza, então ele será conjugado no modo subjuntivo. Se você der uma ordem ou pedido, então o verbo estará no imperativo.



Modo Indicativo - com certeza

"Você canta bem."


Modo Subjuntivo - sem certeza

"Talvez você cante bem." 



Modo Imperativo - ordem ou pedido

Canta! Agora!


Chefe carismático dando uma ordem para o seu querido funcionário.
Essa ordem será expressa no modo imperativo.
Ex: Digita! Entrega o relatório! Anda!

Não se preocupe porque ao longo desse roteiro de estudo nós iremos explicar cada modo.



TIPOS GERAIS DE VERBOS

Verbos regulares: seguem um padrão ao serem conjugados
Ex: eu canto, tu cantas, ele canta...

Verbos irregulares: possuem conjugações diferentes
Ex: eu caibo (e não "eu cabo"), eu meço (e não "eu medo")

Verbos anômalos: fazem pirraça e não seguem padrão nenhum ao serem conjugados
Ex: eu sou, tu és, ele é (verbo "ser")

Verbos abundantes: verbos que possuem mais de um particípio
Ex: verbo "imprimir": "o documento foi imprimido" ou "o documento foi impresso"

Verbos defectivos: ao contrário dos verbos abundantes, eles não possuem determinadas conjugações.
Ex: verbo colorir: não existe "eu coloro".

Você acabou de ver uma tonelada de informações. Não se preocupe porque nós vamos estudar os verbos aos poucos. Agora, avance para o próximo artigo de nosso roteiro de estudo.



9 comentários:

  1. Ora pois, pois!Muito bom o jeito que vc ensina, excelente didática!

    ResponderExcluir
  2. Como é bom aprender sorrindo!!!!!Parabéns ao Blog.

    ResponderExcluir
  3. Bom mas é muito comlicado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parceiro se você está achando esse método complicado, não queira assistir aulas do meu professor srsr.
      Dedique-se um pouco mais, e verá que a complicação deixará de existir. Abraço.

      Excluir
  4. Parabéns blog muito bom!!!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar no Blog do Gramaticando!