Estrutura das Palavras




Hoje nós vamos falar da Estrutura das Palavras, um assunto emocionante. Você vai aprender a construir todas as palavras da Língua Portuguesa. Legal, né?

As palavras são formadas por letras, que por sua vez formam sílabas. Porém, as letras formam outros tipos de estruturas especiais que são chamadas de morfemas.

Quem são?
O que fazem?
Onde vivem?

É o que a gente vai ver agora.

RADICAL

O radical é o pedaço da palavra que é responsável pelo significado dela (é a sua essência).

Uma família de palavras, por exemplo, possui o mesmo radical (que é a essência e o significado da palavra). É como se fosse um sobrenome da palavra, como se fosse o nosso "Silva", "Souza", "Machado", "Pinto", "Rego" ou "Rodriguez Juarez", por exemplo.



Exemplos:

FERR é o radical das palavras FERRO, FERREIRO e FERRUGEM, guardando o significado original de todas essas palavras (é como se fosse o sobrenome dessa família de palavras).

PEDR é o radical das palavras PEDRA, PEDRADA e PEDREIRA.


DESINÊNCIA NOMINAL

Desinência Nominal de Gênero

Nas palavras sexuadas que possuem gêneros (masculino ou feminino), esses gêneros podem ser distinguidos por uma desinência nominal de gênero. A palavra será masculina se a desinência for a letra O e a palavra será feminina se a desinência for a letra A . Tranquilo, certo?

Exemplos:

Na palavra MÉDICO, a letra O mostra que a palavra é masculina (médico é "macho"... pelo menos é o que a desinência está dizendo). Logo, a letra O é uma desinência nominal de gênero que indica que a palavra "médico" é do gênero masculino.

De modo semelhante, em MÉDICA, a letra A é uma desinência nominal de gênero que indica que a palavra é do gênero feminino.

Desinência Nominal de Número

As palavras, além de poderem ser flexionadas quanto ao gênero (masculino ou feminino), também podem ser flexionadas quanto ao número (singular ou plural). Nesse caso, quem pode definir se uma palavra está no plural ou no singular é a desinência nominal de número. A palavra estará no plural se tiver a desinência S.

Exemplo:

Na palavra MÉDICOS, nós temos a desinência nominal de gênero (a letra O) e também temos a desinência nominal de número (a letra S), que indica que a palavra está no plural.

Observação:  A palavra LÁPIS, por exemplo, termina com a letra S. Porém, essa letra S não expressa número, já que "lápis" pode ser usado tanto no plural quanto no singular (tenho um lápis, tenho dois lápis). Então, nesse caso, a letra S não é desinência nominal de número. Aliás, "lápis" é um radical inteiro da própria palavra (o radical de "lápis" é "lápis"), tanto que esse radical se repete em outra palavra da família, como um sobrenome (lapiseira).

Se a letra que vier depois do radical não for desinência, então ela será uma espécie de "zé ninguém". Para o nome não ficar feio, resolveram chamá-la de "vogal temática".

VOGAL TEMÁTICA

A vogal temática é a vogal que aparece logo depois do radical. Ela não indica nada de interessante: apenas está ali, depois do radical. E pronto.

Exemplos:

Na palavra FERRO, a letra O aparece depois do radical. Como FERRO não se flexiona quanto ao gênero (não existe "a ferra", não existe "ferro macho" nem "ferro fêmea"), essa letra O não é desinência de coisa alguma. Então, ela é um zé ninguém uma vogal temática.

Na palavra PEDRA, seguindo a mesma linha de raciocínio do exemplo anterior, chegamos à brilhante conclusão de que a vogal temática é a letra A (que aparece logo depois do radical PEDR), já que não existe "pedro" ou "pedra homem".

TEMA

O tema nada mais é do que a união do radical com a vogal temática.

Exemplo: 

Na palavra PEDREIRA, o tema é PEDRE (união do radical PEDR com a vogal temática E).


DESINÊNCIA VERBAL

Enquanto que a desinência nominal indica o gênero e o número das palavras e enquanto que a vogal temática não indica nada, a desinência verbal é aquela que indica a flexão dos verbos (portanto, ela só pode ser encontrada nos verbos). Os verbos são aquelas palavras chatas legais que podem se flexionar de trocentas maneiras diferentes, deixando qualquer aluno maluco (podem se flexionar quanto ao tempo, ao modo, à pessoa e ao número).

Sendo assim, existem dois tipos de desinências verbais: número-pessoal (indicam o número e a pessoa da conjugação verbal) e modo-temporal (indicam o modo e o tempo da conjugação verbal). Se você estiver meio enferrujado em verbos, então seria bom dar uma relembrada neles para você entender esse assunto sobre desinência verbal (dê uma lida sobre verbos clicando aqui).

Exemplos:

CANTAIS - a desinência AIS indica que o verbo "cantar" está conjugado na segunda pessoa do plural (vós cantais). Ou seja: é uma desinência verbal número-pessoal (indica a pessoa e o número).

CANTAVA - a desinência AVA indica que o verbo "cantar" está conjugado no pretérito imperfeito do modo indicativo. Eu não sei quem é a pessoa que "canta" (pode ser "eu cantava" ou "ele cantava"), mas eu sei qual é o tempo (pretérito imperfeito) e o modo (indicativo). Logo, AVA é uma desinência verbal modo-temporal.

Em "CANTAVA", nós temos uma desinência verbal modo-temporal

VOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃO

As vogais e as consoantes de ligação são letrinhas que se intrometem na palavra dando a desculpa de que elas melhoram a pronúncia. São "de ligação" porque, segundo elas, ligam os morfemas entre si.

Exemplo: A palavra GASÔMETRO era para ser GASMETRO (gás + metro). Só que ficou tão feio que os estilistas decidiram incluir uma letra para melhorar a pronúncia. Então surgiu o GASÔMETRO, sendo que essa letra O é uma vogal de ligação.

Outros exemplo: CAFEZINHO (ao invés de "cafeinho"). A letra Z é uma consoante de ligação.

Mais um exemplo: CAFEICULTURA (ao invés de "cafecultura"). A letra I é uma vogal de ligação.


AFIXOS

Os afixos nada mais são do que os prefixos e os sufixos, estruturas que são capazes de mudar completamente o sentido de uma palavra ou então a sua classe gramatical. Os prefixos aparecem antes do radical das palavras e os sufixos aparecem depois do radical.

Exemplo: INFELIZ. O afixo IN é um prefixo que altera completamente o significado da palavra.

Outro Exemplo: FELIZMENTE. O afixo MENTE transforma um adjetivo (feliz) num advérbio (felizmente).

Pronto: você virou um expert em Estrutura de Palavras. Você aprendeu, neste post, o que é radical, desinência nominal, desinência verbal, vogal temática, tema, vogal de ligação, consoante de ligação e afixos (prefixos e sufixos). Agora, com tudo isso em mãos, você pode sair e construir palavras por aí. 

Um comentário:

  1. Cada visita/consulta a seu blog rende, além de esclarescimentos, muitas risadas.
    Muito obrigada!
    Anna

    ResponderExcluir