Conjunções

As conjunções são palavrinhas que ligam orações, estabelecendo diversos tipos de relação entre elas. São ótimos conectivos para manterem a coesão de sua redação, por exemplo.



Existem várias classificações de conjunções, mas a questão não é decorar, mas sim entender o tipo de relação que a conjunção estabelece entre duas orações.

Veja, abaixo, a classificação completa das conjunções. Aquelas que tiveram um asterisco (*) são porque elas possuem observações importantes no final desta postagem.



CONJUNÇÕES COORDENATIVAS 
(ligam orações independentes, ou seja: coordenadas)

ADITIVAS: dão ideia de soma ou adição de ideias ou fatos 
ex: e, nem, não só... mas também, não só... como também, bem como, mas ainda


São dois os piores perigos para a sociedade: 
bêbado com chave de carro e burro com título de eleitor.

ADVERSATIVAS: dão ideia de oposição, adversidade; expressa ideias contrárias
ex: mas, porém, entretanto, todavia, contudo


Saci disse: "não demoro, vou num pé e volto no outro". 
Ele foi, mas nunca mais voltou

ALTERNATIVAS: dão ideia de alternância ou escolha
ou, ou ... ou, ora ... ora, quer ... quer, já... já

Liquidação de muletas! Só hoje!
Ou venha correndo ou venha voando! 

*CONCLUSIVAS: dão ideia de conclusão
 assim, logo, portanto, pois (depois do verbo), por conseguinte, por isso

Desistir é para os fracos. Logo, faça como eu: nem tente. 

*EXPLICATIVAS: explicam ou justificam
pois (antes do verbo), porque, que, porquanto


 Deus, dai-me apenas paciência para aguentar meu chefe, 
porque se me der força eu bato nele!



CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS
(ligam uma oração subordinada à outra)

*CAUSAIS: expressam causa ou motivo
porque, visto que, já que, uma vez que, como, desde que

Malandro é o canguru que já nasce com Bolsa Família. 
(obs: o fato de nascer com Bolsa Família é a causa do canguru ser malandro)


CONSECUTIVAS: expressam consequência
que (usado com expressões do tipo "tão", "tanto", "tal", "tamanho", ou seja: indicadores de intensidade), de modo que, de maneira que

Treinei tanto que sou capaz dedigtiar 300 palvras pro seugdno!

COMPARATIVAS: expressam comparação
como, (tal) qual, assim como, tanto... quanto, mais... do que, menos... do que, tão... como

Amor traído é como capim: você planta, ele cresce... aí vem uma vaca e acaba com tudo!

CONDICIONAIS: expressam condição
se, caso, contanto que, desde que, salvo se, sem que (= se não), a menos que

Se acupuntura adiantasse, porco espinho viveria para sempre


CONFORMATIVAS: expressam ideia de conformidade com a oração principal.
conforme, segundo, consoante, como

Conforme me disseram, dinheiro não tráz felicidade. 
Dê-me o seu e viva feliz!

CONCESSIVA: expressam concessão, contradição ou um fato inesperado
embora, apesar, conquanto, posto que, ainda que, mesmo que

Embora existam mulheres conquistadas com beijos e carinhos, 
para todas as outras existe MASTERCARD.


TEMPORAIS: expressam ideia de tempo
quando, enquanto, logo que, desde que, assim que, mal (com o sentido de "logo que"), até que

A pior hora para se ter um ataque cardíaco é quando estamos brincando de mímica

FINAIS: expressam ideia de finalidade ou propósito
a fim de, para que, que

Nas provas eu sempre uso a técnica do Cálculo Hipotético Universal da Teoria Estimativa (popularmente conhecida como C.H.U.T.E.) a fim de não deixar nenhuma questão em branco. 

PROPORCIONAIS: indicam proporção
à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais (+ tanto menos)

À medida que calculo meu IMC, mais vejo que a minha altura está abaixo da normal. 

INTEGRANTES: As conjunções integrantes introduzem as orações subordinadas substantivas. São duas as conjunções integrantes: "que" e "se". Para mais detalhes sobre subordinação e coordenação, leia sobre Sintaxe ou Análise Sintática.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

1) Conjunção Causal ou Conjunção Explicativa?

A conjunção explicativa é usada para unir orações independentes, ou seja, coordenadas (que possuem sentido próprio, não dependendo de outras para serem entendidas).


 Deus, dai-me apenas paciência para aguentar meu chefe, 
porque se me der força eu bato nele!

1- Deus, dai-me apenas paciência para aguentar meu chefe
2 - Se me der força, eu bato nele. 


A conjunção causal é usada para unir orações de caráter subordinativo, ou seja: uma oração depende da outra para ser compreendida

Malandro é o canguru que já nasce com Bolsa Família. 

1- Malandro é o canguru
2 - Já nasce com Bolsa Família (quem nasce?)


Veja que não posso entender a oração 2 sem a oração 1, ao contrário do exemplo do "Deus, dai-me paciência..." 

2) O caso do "pois"

O "pois" é muito usado no sentido explicativo. 

Malandro é o homem bomba, 
pois ele fala pra mulher que vai trabalhar e nunca mais volta pra casa

Porém, o "pois" pode ser conclusivo também. Esse caso é mais comum em Portugal do que no Brasil.

                     Desistir é para os fracos. Nem tente, pois (= portanto, nem tente)


CONJUNÇÕES E A REDAÇÃO

As conjunções têm um papel importante na coesão textual, deixando seu texto "fluir", ou seja, o deixando bem "amarrado" e "coeso". Veja na prática:

Fragmento sem coesão:

Adoro praia. Lá é possível descansar. Na cidade, não é possível descansar. Posso tomar sol. Posso mergulhar no mar. Posso conhecer pessoas novas. Eu tenho que viajar e gastar dinheiro para ir até a praia. 

Fragmento com coesão: 

Adoro praia, já que lá é possível descansar enquanto que na cidade não é. Além disso, posso tomar sol, mergulhar no mar e conhecer pessoas novas. Porém, eu tenho que viajar e gastar dinheiro para ir até lá.



27 comentários:

  1. Por obséquio! Estão incluidas todas as conjunçoes neste post?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehe, boa pergunta... Sempre falta, mas nessa postagem estão listadas as principais. Pelo menos é o que eu acho... Se inventarem mais eu atualizo a postagem. Ou então, se alguém aí sentir falta de alguma pode me avisar que eu atualizo. Um abraço!

      Excluir
  2. De acordo é uma conjunção conformativa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "De acordo" tem o mesmo sentido de "conforme". Como "conforme" tem valor de conjunção, então é correto dizer que "de acordo" é uma EXPRESSÃO com valor de conjunção.

      Porém, essa expressão é formada pela preposição "de" e pelo substantivo "acordo", que juntos formam uma expressão que tem o mesmo sentido da conjunção "conforme". Não se trata de uma palavra única, mas sim de uma expressão.

      Portanto, seria mais correto dizer que "de acordo" é uma "locução" (pois é formada por duas palavras) e, por ter valor de conjunção, é classificada como "locução conjuntiva". Na postagem, existem outros exemplos de locuções conjuntivas (como o "desde que", "assim que"), mas eu acabei tratando todas como conjunções.

      Só para ressaltar:

      "Conforme" - conjunção conformativa(conjunção é uma palavra)
      "De acordo" - locução conjuntiva conformativa (locução é formada por duas ou mais palavras)

      Excluir
    2. Aliás, existem mais locuções conjuntivas na língua do que conjunções isoladas.

      Espero ter respondido a sua pergunta. Caso contrário, pode perguntar novamente.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Essa resposta sanou muitas das minhas dúvidas! Ótimo texto.

      Excluir
  3. Nossa, que blog bom! Tô adorando, muito obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Quando vc vai explicar conjunção conformativa vc diz q dinheiro não tráS felicidade!
    se dinheiro tráZ ou não felicidade depende dos valores de cada um...Agora, cometer um erro ortográfico desses em um blog de português, traz muita insegurança ao leitor e faz com que ele tenha que ir atráS de outras fontes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei como deixei um erro trágico desses passar. Esse post é bem antigo. Eu até já escrevi um post sobre o verbo "trazer" e a confusão que é feita com o "s" e com o "z". Bem, é complicado ter que publicar seu comentário aqui e expor o meu erro, mas tenho que fazer isso porque é o certo a se fazer quando um blogueiro trabalha com transparência para os seus leitores. Obrigado pelo seu comentário, a postagem foi atualizada.

      Excluir
  5. engraçado q vc até me induziu ao erro: é traz, e não tráz!!kkk

    ResponderExcluir
  6. COMENTÁRIOS IMPRÓPRIOS À PARTE,Ô VINCI, SOU NATURAL DE SALVADOR E LÁ COSTUMAMOS DIZER,POR EXEMPLO: O CARRO É DE PAULO.SEI QUE EXISTE A CONTRAÇÃO DE+O =DO,MAS É ERRADO USAR SÓ A PREPOSIÇÃO NESSES CASOS OU AMBOS OS CAOS SÃO ACEITÁVEIS???

    ResponderExcluir
  7. Qual a diferença entre CONJUNÇÃO e PREPOSIÇÃO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, de modo geral as preposições conectam palavras dentro das orações. Já as conjunções conectam orações (ou termos de mesma função sintática). Essa explicação pode parecer realmente um pouco complicada. Experimente ver os exemplos de preposições e de conjunções pois assim a definição ficará mais natural e intuitiva para você.

      Excluir
  8. "Conforme me disseram, dinheiro não tráz felicidade.
    Dê-me o seu e viva feliz!" Esse trás com "Z" tem acento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não tem. O "traz" é a conjugação do verbo "trazer" e não tem acento. Quem tem acento é o "trás", com "s", que é advérbio (tem o mesmo sentido de "atrás", exemplo: "ela apareceu por trás da janela").

      Excluir
  9. Olá! Parabéns pelo blog, me ajuda demais!
    Só foram apresentadas as conjunções subordinativas adverbiais, por serem mais comuns, entendo. Mas só para me tirar uma dúvida, existem mais além das adverbiais? Pois quando estava estudando sobre o uso da vírgula, eu vi que ela deve ser usada para separar orações subordinadas substantivas apositivas e subordinadas adjetivas explicativas.
    Não consigo lembrar nem das adverbiais imagine de mais dois tipos rs... tô frita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao todo são 15 tipos de conjunções e todas elas foram apresentadas na postagem. Elas podem ser coordenativas ou subordinadas. Dentro das subordinadas, elas podem ser adverbiais ou substantivas. Existem 9 tipos de conjunções subordinadas substantivas e um tipo de conjunção subordinada substantiva (que é a conjunção integrante). A única coisa que eu não falei na postagem foi sobre as "conjunções essenciais", que são aquelas que funcionam somente como conjunção (e, nem, mas, porém, todavia, contudo, entretanto, ou, porque,pois, portanto, se, ora, apesar, como).

      A respeito da vírgula, além do que você disse ela também é usada para separar os adjuntos adverbiais deslocados e também é usada para separar as orações subordinadas adverbiais que foram deslocadas (a vírgula indica que elas, teoricamente, se "movimentaram", saindo do final da oração e caminhando para o início dela).

      Excluir
    2. Se eu falei em "grego" avise que eu procuro outra maneira de explicar.

      Excluir
    3. Olá, Fabiana fieldFischer. Tenho a mesma dúvida que vc. Temos que estudar mais orações subst , adver , etc. Tentei fala com vc no face, no google,no twitter ,mas consegui.vc tem cadastro nessas redes?xand646@gmail.com

      Excluir
  10. Olá... estou gostando de suas explicações... realmente a internet precisa de mais iniciativas como esta... e grátis então fica melhor... obrigada!
    Carol

    ResponderExcluir
  11. Olá, boa noite.

    sou muito insegura na hora de pontuar meu texto, você~e pode me da algumas dicas de estudo descomplicado como o seu em relação a este assunto?. obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maior parte dos erros de pontuação são os erros com o emprego da vírgula. Portanto, para aperfeiçoar a sua pontuação, eu sugiro que você comece o seu estudo pelas vírgulas e, caso queira, você pode ler o meu post sobre esse assunto aqui:

      http://www.blogdogramaticando.com/2012/06/quando-usar-virgula.html

      Excluir
  12. Me ajudou bastante...

    Vlw...

    ResponderExcluir
  13. Meu amigo eu estou amando língua portuguesa!
    Ninguém nunca me deu explicações coerentes.

    ResponderExcluir