Orações Coordenadas e Subordinadas (definição)




Hoje nós vamos falar sobre os tipos de orações. Vou explicar primeiro o que são orações subordinadas e depois eu vou explicar o que são orações coordenadas

OBS: para entender esse assunto, você realmente precisa entender os capítulos anteriores do nosso Roteiro de Estudo sobre Análise Sintática (clique aqui para ver os capítulos anteriores). Caso contrário, se você não entendeu o conteúdo anterior, será muito difícil entender o conteúdo daqui para frente. Depois não diga que eu não avisei... 

Antes de começarmos as explicações, vamos relembrar alguns conceitos importantes:

Relembrando Conceitos


Frase: é qualquer conjunto de palavras que, juntas, formem um sentido.

Oração: é uma frase que obrigatoriamente tem um verbo.

Período Composto: é o conjunto de duas ou mais orações.

Período Simples: é formado por apenas uma oração.

Dica: para descobrir quantas orações existem num período composto, basta contar a quantidade de verbos (porque cada oração tem apenas um verbo). Porém, tenha cuidado com as locuções verbais (dois ou mais verbos que funcionam como um só), como por exemplo: dizer "estarei vindo pela manhã" equivale a dizer "virei pela manhã" ("estarei vindo" é uma locução com dois verbos que funcionam como um verbo, portanto temos apenas uma oração). 


Orações Subordinadas



Veja essa oração escrita em cor azul:

Marinalva quer biscoitos.



Nessa oração azul, nós temos:

Marinalva: é o sujeito da oração azul
quer: é o verbo transitivo direto da oração azul
biscoitos: é o objeto direto da oração azul


Agora, imagine que eu troque "biscoitos" (objeto direto) por uma outra oração, ou seja: eu vou transformar o objeto direto numa oração inteira, fazendo essa nova oração funcionar como o objeto direto da oração azul. Veja o exemplo:



Marinalva quer que você acerte o alvo

Nessa oração, temos:

Marinalva: sujeito (da oração azul).
quer: verbo transitivo direto (da oração azul).
que você acerte o alvo: oração que está funcionando como objeto direto da oração azul. 

A oração "que você acerte o alvo" (em vermelho) está funcionando como objeto direto da oração "Marinalva quer" (em azul), explicando o que a Marinalva quer. Portanto, a oração vermelha é uma oração subordinada da oração azul, que é chamada de oração principal


Marinalva quer biscoitos
("biscoitos" é objeto direto)

Marinalva quer que você acerte o alvo
("que você acerte o alvo" é uma oração que funciona como objeto direto da outra oração)





Agora você já pode entender a definição de orações subordinadas:

As orações subordinadas funcionam como partes de outra
 oração (que é chamada de oração principal).

Entendeu? As orações subordinadas estão dentro de outra oração (chamada de "oração principal") e podem funcionar como objeto direto, indireto, complemento nominal, sujeito, adjunto e por aí vai (podem funcionar como qualquer coisa da oração principal). Não se preocupe porque eu vou explicar tudo isso passo a passo. 


Orações Coordenadas


Ao contrário das orações subordinadas, as orações coordenadas são independentes. As orações coordenadas não estão dentro de outras orações, mas sim estão ao lado de outras orações. 

Marinalva comprou uma televisão, sentou no sofá e assistiu ao canal Bicho Planet

Imagens
Típico documentário reprisado no Bicho Planet

Veja que, nesse período, existem três orações independentes:

Oração 1: Marinalva comprou uma televisão. 
Oração 2: (Marinalva) sentou no sofá. 
Oração 3: (Marinalva) assistiu ao canal Bicho Planet.

Veja que cada oração independe das outras. Elas estão uma ao lado da outra, porém cada uma tem a sua própria estrutura (ninguém é pedaço de ninguém, ninguém está dentro de ninguém). Portanto, essas orações são orações coordenadas

Tipos de Períodos


Quando um período possui orações subordinadas, ele será chamado de período composto por subordinação. Se o período é formado por orações coordenadas, então ele será chamado de período composto por coordenação

Resumo da Ópera:

Orações Subordinadas: funcionam como partes de outra oração (chamada de "oração principal"). Portanto, elas só têm sentido dentro de outra oração. 
Orações Coordenadas: são orações independentes (não dependem das outras para ter sentido).
Período Composto por Subordinação: é aquele que possui orações subordinadas. 
Período Composto por Coordenação: é aquele que possui orações coordenadas. 

14 comentários:

  1. valeu!! me ajudou bastante.gostei do jeito que o conteúdo é abordado

    ResponderExcluir
  2. eu nao consigo entender nada disso! sou muito burro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, eu só posso dizer uma coisa: se eu aprendi isso, você também pode aprender. Tenha a absoluta certeza disso.

      Eu particularmente tive muita dificuldade no ensino médio para aprender esses conceitos de Sintaxe e confesso que, mesmo depois de formado, as dúvidas persistiram. Hoje já sei bem mais. Porém, não posso dizer que eu sei tudo: dúvidas sempre terei e, até hoje, eu quebro a cabeça para responder determinadas perguntas que fazem a mim. De todo modo, eu estou em contínuo aprendizado, desde o momento que eu escrevo uma postagem até o instante em que o leitor interage por meio dos comentários. Eu nunca vou saber de tudo.

      Uma coisa é certa: não existe hora exata para começar a aprender, nem data de validade. Entre em contato por meio do formulário de contato do BG, enviando um e-mail e eu poderei começar do zero com você (dependendo do meu tempo livre). Caso esteja interessado em fazer isso, você vai ver que Sintaxe não é nenhum mistério. Tente ler, com calma, as postagens do blog a respeito do assunto e pontue suas dúvidas. Comece tranquilamente pela Sintaxe I, vendo o que é sujeito, verbo, complemento, etc... Depois, sim, venha para a Sintaxe II.

      Afinal, a Sintaxe II é uma cópia da Sintaxe I. Se você sabe o que é objeto direto (sintaxe I), você sabe o que é uma oração subordinada substantiva objetiva direta (sintaxe II).

      Portanto, vá até a barra lateral esquerda do blog, vá em "Sintaxe I" e clique no link "Análise Sintática I (Introdução)".

      Excluir
  3. naõ pode se achar burro porwue isso vai bloquear a sua mente, dificultando mais o seu aprendizado.

    ResponderExcluir
  4. Nossa amei o blog,sou estudante de letras e aprendi muito fazendo apenas uma pesquisa aqui. Está de parabéns,de uma maneira clara eu compreendi tudo. :)

    ResponderExcluir
  5. adorei agora sim clareou minha mente

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a explicação!!Pela 1a vez consegui realmente compreender o assunto, ao inves de decorar.Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  7. KKKKKKKKKKK!!!ME ajudou e ainda me fez rir!Brega-brega planet...LOLOLOLOLOLOLOL

    ResponderExcluir
  8. Eu tbm vim aprender análise sintática depois que fiz o ensino médio, estudando para concursos. Vendo videos aula na internet, entre outros materiais como este do blog, que por sinal, gostei muito... Gosto de estudar com essas pitadas de humor. É sempre bom. Torna os estudos mais agradável.

    ResponderExcluir
  9. Olha o preconceito, eu adoro essa matéria, eu emmm!!!

    ResponderExcluir
  10. mas esta errado, pois o verbo esta acompanhado de uma preposição então o verbo é transitivo indireto e da preposição até o ponto final objeto indireto

    ResponderExcluir
  11. Excelente blog! Sou professora de Língua Portuguesa e vou indicá-lo aos meus alunos, pois torna os estudos em casa mais interessantes e produtivos. Está de parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir

Conheça a nossa página no Facebook!