Vocativo




Você viu que o sujeito é o termo da oração responsável pelo o que o verbo faz. Hoje nós vamos ver o que é vocativo, outro termo que pode aparecer na oração e que pode ser confundido com o sujeito.

Antes de qualquer coisa, veja os exemplos abaixo:


Professor, platelmintos cai na prova?

Meus queridos amigos e companheiros, vamos fazer uma reflexão filosófica:
quem somos nós? Da onde viemos? Para onde iremos? Onde almoçaremos?

Povo do Brasil! Brasileiros e brasileiras! As estradas estão esburacadas e horríveis não por falta de investimentos, mas sim para que vocês possam sacudir mais o corpo e gastar mais calorias, garantindo um condicionamento físico melhor! 
(típico pronunciamento de Presidentes da República seguido de fortes aplausos do povo)

Os termos em vermelho são chamados de vocativos. O vocativo nada mais é do que a palavra ou expressão usada pelo falante para se referir ao seu ouvinte (interlocutor). Veja que, em cada exemplo, os vocativos são usados pelo falante para se dirigir aos seus ouvintes ("professor", "meus queridos amigos e companheiros", "povo do Brasil", "brasileiros e brasileiras"). É isso que o vocativo faz. 

Veja outros exemplos:

Gilvomar: Linda, quer dançar comigo?
Lindulceia: Gilzinho, eu não, mas a minha avó, que tem a sua idade, está doidinha para isso.

Neto: Bisa Maricota, pare de fumar! Faz mal!
Bisavó: Calma, Beicinho... Eu tenho bastante saúde ainda.




Vocativo ou Sujeito?

O sujeito é o termo que pratica a ação do verbo, enquanto que o vocativo é uma forma de se dirigir à pessoa que vai ouvir (ou ler) a oração. A dica para diferenciar os dois é a seguinte: o vocativo, na maior parte das vezes, estará isolado com vírgula (ou com pontos de exclamação ou de interrogação). O sujeito, por outro lado, nunca estará ao lado de um verbo junto com uma vírgula ou qualquer outro tipo de pontuação. 

Veja o exemplo:

Zilda precisa parar de fumar. 

Quem precisa parar de fumar? Resposta: Zilda. Logo, Zilda é o sujeito da oração (porque é ela quem precisa parar de fumar). Perceba que não existe vírgula ou ponto de exclamação ou de interrogação entre Zilda e o verbo ("precisa"). 

Agora, veja estes exemplos:

Zilda, precisa parar de fumar. 

Zilda! Precisa parar de fumar!

Zilda... precisa parar de fumar.


Nesse caso, a pessoa que está mandando Zilda parar de fumar está falando diretamente para ela (é como se você parasse de frente para Zilda e falasse para ela: "Zilda, precisa parar de fumar"). Ou seja: Zilda é um vocativo. Observe que Zilda sempre aparece marcada com algum tipo de pontuação (vírgula, exclamação, reticências). 

Para terminar, veja estes exemplos:

Chico, você está com a minha caneta.

Chico... você está com a minha caneta.

Chico! Você está com a minha caneta!

Chico? Você está com a minha caneta?

Nesses exemplos, "Chico" (marcado por pontuação) é o vocativo da oração, enquanto que "você" (não está marcado com pontuação) é o sujeito da oração ("você está com a minha caneta"). Na oração original, o vocativo sempre aparece separado por algum tipo de pontuação (vírgula, ponto de interrogação, etc), enquanto que o sujeito não. 


Próximo Assunto

A partir do próximo artigo, nós vamos começar a estudar os objetos. 

CONTINUAR (PRÓXIMO ARTIGO)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conheça a nossa página no Facebook!