Cujo, cuja, cujos... Pronome, preposição e concordância

Bem, o "cujo" é um pronome relativo que tem a ideia de posse. Ele fica entre a coisa possuída e o seu possuidor. Exemplo:

"A citação cujo autor eu só conheço de nome me fez refletir"
(A citação pertence ao autor que eu só conheço de nome)





E ele concorda com quem esteja associado:

A escola cujos alunos estudaram Mandarim recebeu uma nova diretora
(os alunos que estudaram Mandarim pertencem à escola que recebeu uma nova diretora)

A escola cujas alunas estudaram Mandarim recebeu uma nova diretora
(as alunas que estudaram Mandarim pertencem à escola que recebeu uma nova diretora)

A nova diretora da escola

Observe também:

"Os automóveis cujo código de fabricação foi alterado devem passar por uma revisão". 

Veja que "cujo" concorda com "código" (e não com "automóveis", que está no plural). É por isso que "cujo" permanece no singular. O restante da oração concorda com "automóveis" ("devem passar por uma revisão"). 

Veja também que não há nada entre "cujo" e "código", entre "cujos" e "alunos" e entre "cujas" e"alunas". É errado colocar algum artigo antes do pronome. Logo, é errado dizer "cujo o código", "cujos os alunos", "cujas as alunas". 

Outra pegadinha é a questão da preposição. Essa é a questão mais chatinha do "cujo", já que é uma coisa muuuuuito fora de nossa realidade e parece que está errada (ninguém usa "cujo" no cotidiano). Às vezes, pode ocorrer que a segunda oração, por conta da Regência Verbal, exija preposição. Essa preposição não pode sumir: ela tem que parar em algum lugar, que é à frente do "cujo". 

Veja o exemplo:

Observe a oração: "Todo mundo gosta do pão do padeiro Astrogildo". 

Veja que eu usei a preposição "de" que é exigida pelo verbo "gostar" (gosta do pão). Nesse caso, a preposição "de" se misturou com o artigo "o", formando o "do". 

Vamos mudar essa oração, usando o "cujo":

"Este é o padeiro cujo pão todo mundo gosta"

Esse exemplo está errado. Onde foi parar a preposição "de"? O correto é dizer:

"Este é o padeiro de cujo pão todo mundo gosta". 

Sim, realmente é esquisito... 

Veja outros exemplo:

Este é o político com cujas propostas de resolução da crise nós sempre concordamos. 
(Nós sempre concordamos com as ideias deste político)

Este é o político contra cujas propostas de resolução da crise nós sempre lutamos
(Nós sempre lutamos contra as ideias deste político).

Este é o político em cujas propostas de resolução da crise nós sempre confiamos
(Nós sempre confiamos nos projetos deste político)

Obs: "confiamos nos projetos = confiar em + os projetos).



Um comentário:

  1. Muito bom, parabéns, texto muito esclarecedor, tirou todas as minhas dúvidas.

    ResponderExcluir