Análise Sintática - introdução



Seu Objetivo: entender que diabos é análise sintática e entender o que é frase, oração, período, sujeito, verbo, complemento e adjunto.

Versão resumidaSe quiser ler a versão ultra-mega-super-resumida deste artigo, clique aqui

* * *

Olá!

Hoje nós vamos começar a falar da Análise Sintática, um assunto que algumas pessoas não gostam, outras odeiam  (e alguns malucos, como eu, gostam). No post de hoje, eu vou apenas fazer uma introdução. Não se preocupe em decorar os conceitos agora porque nós vamos estudar cada assunto com calma, tranquilidade, paz e amor nos próximos artigos. 

Bem, você já deve ter aprendido que as palavras podem ser classificadas em vários categorias, como substantivos, adjetivos, advérbios, pronomes, conjunções e por aí vai. Essas categorias são chamadas de classes gramaticais e quem classifica as palavras desse jeito é a Morfologia. Portanto, é na Morfologia que nós estudamos as classes gramaticais (a classificação das palavras).

Os substantivos, por exemplo, são palavras que funcionam como nomes (nomeiam as coisas e os seres). Trata-se de uma classe gramatical. Alguns exemplos de substantivos: "João", "pizza", "pizzaria", "calabresa", "gato".

João, pizza, pizzaria, gato são alguns exemplos de substantivos.

Essas palavras foram classificadas de modo isolado, ou seja: foram classificadas individualmente.

Agora, se elas estiverem juntas numa frase, então elas poderão ser classificadas de acordo com o que elas fazem dentro da frase (e não mais de modo isolado), ou seja: elas podem ser classificadas de acordo com a função que elas têm dentro da frase. Elas continuarão sendo substantivos, mas também serão classificadas de acordo com suas funções dentro da frase. Essa classificação (de acordo com o que as palavras fazem dentro de uma frase) é estudada pela Sintaxe. É daí vem a Análise Sintática (a análise das funções que as palavras podem assumir dentro das frases).

Morfologia: faz a classificação das palavras de modo isolado (classes gramaticais)
Sintaxe: analisa o que cada palavra faz dentro de alguma frase (funções sintáticas)

Por exemplo (preste atenção nas palavras em vermelho):

João comprou pizza de calabresa na Pizzaria do Gato.



Já vimos que "João", "pizza", "calabresa", "pizzaria" e "gato" são substantivos (pela classificação da Morfologia). Porém, nós podemos pegar esses substantivos e formar uma frase ("João comprou pizza de calabresa na Pizzaria do Gato"). A frase é um conjunto de palavras que transmite uma mensagem e cada uma dessas palavras têm uma função dentro da frase.

Veja: a função de João é comprar a pizza (ele realiza a ação), a  pizza é a coisa comprada (indica o que João comprou), calabresa indica o sabor da pizza e a Pizzaria do Gato é o lugar onde a pizza foi comprada.

Portanto, a Sintaxe vai classificar as palavras de acordo com a função delas dentro da frase. "João" continua sendo um substantivo (classe gramatical), mas dentro da frase que acabamos de ver, "João" é aquele que compra a pizza, sendo o responsável pela ação (função sintática).

Está ok?


"E o que eu tenho que saber?"

O que você precisa saber ao terminar este post é o seguinte:

Frase, Oração e Período

Quando as palavras se organizam e passam a transmitir uma mensagem elas formam frases. Portanto, frase é qualquer grupo de palavras que transmite alguma mensagem. Aliás, a frase pode ser formada até mesmo por uma única palavra, por exemplo: "Socorro!" (é uma frase que transmite uma mensagem). Basta fazer sentido, basta transmitir alguma mensagem.

As frases podem ser nominais (quando elas não têm verbo) ou verbais (quando elas têm verbo).

As frases verbais (aquelas que têm verbos) também são chamadas de orações (e daqui em diante as chamaremos de orações).

Oração: é a frase que possui um verbo

Sendo assim, a frase "ai meu Deus" é uma frase nominal (não tem verbo), enquanto que "viva intensamente cada dia" é  uma oração (frase verbal), já que tem um verbo (o verbo é "viver", que está conjugado como "viva").

E se tivermos mais de uma oração (uma atrás da outra) teremos um período (um conjunto de orações). Como cada oração tem somente um verbo, basta contar o número de verbos para saber quantas orações existem dentro de um período. Então, as frases "viva cada dia como se ele fosse o último porque um dia você acerta" é um período composto por três orações (basta contar os verbos: "viva", "fosse", "acerta").

Período: conjunto de orações

Beleza?

E os períodos podem ser simples (formados apenas por uma oração, ou seja: têm só um verbo) ou compostos (formados por duas ou mais orações, ou seja: têm dois ou mais verbos).

Agora, nós vamos começar a estudar as orações (as frases verbais).

Sujeito, Verbo e Complemento

A oração geralmente é formada pelo sujeito (que realiza a ação), pelo verbo (palavra que geralmente indica ação) e pelo complemento (completa o sentido da mensagem). Eu digo "geralmente" porque dá para fazer bagunça com isso: existem orações com ou sem sujeito e com ou sem complemento, mas todas têm verbo (porque a oração nada mais é do que uma frase com verbo).

Oração = Sujeito + Verbo + Complemento

 O sujeito é  o termo que desempenha a ação expressa pelo verbo. Veja o exemplo:

João comprou pizza.


Veja que quem fez a ação de comprar a pizza foi o João. Logo, João é o sujeito da oração (é ele quem pratica a ação de comprar). "João" é um substantivo (classe gramatical) que está funcionando como sujeito da oração (função sintática).

Agora, se eu apenas escrever "João comprou", eu deixarei a minha mensagem inacabada (eu não posso terminar a oração aí). Uma pergunta surge: João comprou o quê? Nós precisamos indicar o que o João comprou, ou seja: nós precisamos completar o sentido do verbo "comprar" (precisamos dizer o que o João comprou).

João comprou pizza.


João comprou "pizza". Logo, "pizza" é a expressão que explica o que João comprou. Portanto, "pizza" é um complemento (completa a mensagem da oração). Mais adiante veremos os tipos de complementos.

Pronto: a oração está completa. Todo mundo consegue entender que "João comprou pizza". Nessa oração, "João" é o sujeito, "comprou" é o verbo e "pizza" é o complemento. Se nós tirarmos alguma dessas expressões da oração  a mensagem não terá sentido porque ela ficará inacabada ("sujeito", "verbo" e "complemento" são os componentes mínimos que essa oração precisa ter para poder ter sentido). 

Nós também podemos acrescentar informações adicionais à oração. Essas informações não são obrigatórias (elas apenas dão detalhes à oração). Podemos dizer o sabor da pizza, o lugar onde ela foi comprada, como ela foi comprada, com quem ela foi comprada e por aí vai. Essas informações adicionais são chamadas de adjuntos (mais adiante veremos os tipos de adjuntos).


João comprou pizza de calabresa na Pizzaria do Gato, na semana passada, 
junto com Maria, com o cartão de crédito do irmão.


Todas essas palavras em vermelho são adjuntos, ou seja: são informações adicionais. Já o que está em azul são os componentes básicos que a oração precisa ter para fazer sentido.

Sendo assim, fazer a análise sintática de uma oração nada mais é do que analisar o funcionamento das palavras dentro das orações, classificando-as de acordo com o que fazem dentro da oração, ou seja: descobrir onde está o verbo, o sujeito, o complemento, os adjuntos e por aí vai.

Observação: nunca confunda classe gramatical com função sintática. "João" é um substantivo (classe gramatical) que está funcionando como sujeito da oração (função sintática). "Gato" também é um substantivo (classe gramatical) que está funcionando como adjunto (função sintática).

Se der a louca em mim e se eu disser que o foi o gato que comprou pizza na Pizzaria do João, então o gato passa a ser sujeito e João passa a ser adjunto. Mudamos a função sintática, mas a classe gramatical continua sendo a mesma. 

"E quando eu vou usar isso na minha vida?"

Na hora da prova. A prova faz parte de sua vida...

Bem, para concluir este post, gostaria de dizer que você não precisa se preocupar em decorar e em entender tudo agora. Nós vamos estudar, com calma, paz e amor cada uma das classificações sintáticas. No próximo post, nós só vamos falar somente do sujeito.

Sugestão: antes de avançar para o próximo artigo, dê uma lida no resumo para reforçar os conceitos e as definições que você acabou de aprender. 



14 comentários:

  1. Descobri e adorei!!
    Parabéns, belo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Valeu, obrigado pelo seu comentário!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom mais falta frases e Exercícios para ficar completo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu cumprir as explicações do programa escolar e todos os assuntos tiverem postagens vou investir tempo para fazer exercícios. O BG é um blog novo ainda e falta explicar bastante coisa.

      Obrigado pela participação e pela observação.

      Excluir
  4. Muito interessante!

    ResponderExcluir
  5. Bom demais, descomplicando o complicado. Me ajudando muito.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns continue com esse projeto!!!

    ResponderExcluir
  7. Muitooo bom!!! Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. o blog é muito bom, só falta exercícios comentados pra ficar perfeito!!!

    ResponderExcluir
  9. Amei este blog estou estudando para concursos e tenho dificuldades em português pois é uma matéria da qual não gosto muito....rsrsrsrsrs Mas você ensina de uma forma que fica fácil e divertido aprender! Super indico!!!!

    ResponderExcluir
  10. Muito bom! Continue com o projeto!

    ResponderExcluir
  11. Muito bom!!! Vou fazer uma prova em menos de um mês e preciso saber tudo de análise sintática! Esse blog está me ajudando a revisar aquelas coisinhas que tinha esquecido huehuehue.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo o projeto! Muitoooo esclarecedor!

    ResponderExcluir