Por que, porque, porquê ou por quê?



Essa dúvida é clássica. Afinal, nós podemos escrever "porque", "por que", "porquê" ou "por quê". Veja cada uma das situações:

Por que Osvaldir está irritado?
Osvaldir, por que você está irritado?
Osvaldir está irritado por quê?
Osvaldir es
tá irritado? Por quê?

Notou a diferença? Usamos "por quê" com acento sempre ao lado do "?", ao final da pergunta. Caso contrário, eu uso "por que" sem acento, não importando se aparece no início ou no meio da pergunta.

Portanto, não se esqueça: o "por quê", ao aparecer lá no final da pergunta, ao lado do ponto de interrogação, coloca o "chapéu".

Agora, se ao invés de eu perguntar eu quiser responder então eu preciso usar o "porque". Exemplo:

Osvaldir está irritado porque tropeçou num pinguim desavisado que estava parado no meio do caminho porque caiu em sono profundo porque foi dormir tarde na noite anterior porque ficou assistindo a um filme de terror. 

E o último caso, o "porquê" (junto e com acento) ocorre quando ele se transforma em substantivo (ou seja: é determinado por um artigo). Ou seja: pode ter o mesmo sentido de "o motivo". Exemplo:

Eu não sei o porquê de o Osvaldir estar irritado.
Eu não sei o motivo de o Osvaldir estar irritado.






Próxima dúvida:

2 comentários: