05/04/2014

Você vem DE ONDE ou DA ONDE?




Como devemos falar: "de onde" ou "da onde"? Será que podemos usar "donde" e "daonde" também? É o que você vai ver agora:

A) O pinguim veio da onde?
B) O pinguim veio de onde?




A expressão "da onde" simplesmente não existe: o correto é dizer "de onde" para indicar origem. A palavra "donde", que é uma mistura de "de onde" já está em desuso e deve ser evitada. A palavra "daonde" nem existe: está totalmente errada. 

Portanto, só resta uma única alternativa: devemos falar "de onde". Logo, a alternativa correta é a letra B: "o pinguim veio de onde?!".


Próxima Dúvida:
Correr atrás do PREJUÍZO ou correr atrás do LUCRO? 

3 comentários:

  1. A expressão "daonde" existe, sim senhor. É contração de "de+aonde". "Aonde" vem do latim "ad unde", que se usava em sentido estático, mantido pelos clássicos da língua portuguesa (Camões, Santa Rita, etc). A liçãozinha de que "aonde" só se usa com verbos de movimento não tem qualquer fundamento etimológico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Mitridates,

      A expressão "DAONDE" não existe como construção válida e prescrita na modalidade padrão devido aos seguintes motivos:

      1) A referida expressão não está prevista no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), editado pela Academia Brasileira de Letras e disponível no link "http://www.academia.org.br/nossa-lingua/busca-no-vocabulario". O sistema acusa os registros de "onde", "aonde" e "donde", mas não acusa o registro de "daonde".

      2) A referida expressão não está prevista no "Novo Dicionário de dúvidas da Língua Portuguesa", de Evanildo Bechara, editado pela editora Nova Fronteira, que traz na página 207 somente os registros de "onde", "donde" e "aonde".

      3) Não encontrei, no restante da biografia que utilizo como pesquisa, nenhuma menção à possibilidade de construção de "daonde". Minhas fontes incluem Celso Cunha (Nova Gramática do Português Contemporâneo), Rocha Lima (Gramática Normativa da Língua Portuguesa), José Carlos Azeredo (Gramática Houaiss da Língua Portuguesa) e, mais uma vez, Evanildo Bechara (Moderna Gramática Portuguesa, Gramática Escolar da Língua Portuguesa, Bechara para Concursos).

      Excluir
    2. 4) Você, que reconhece a raiz latina da palavra "ad unde", entende que a própria palavra "aonde" é uma combinação de uma preposição com um advérbio, certo? É por isso que empregamos a palavra "aonde" nas situações em que a combinação "a"+"onde" seja possível, ou seja: para usarmos "aonde", é necessária a presença de um verbo que exija a preposição "a", como por exemplo: "você vai aonde?". O verbo "ir" exige a preposição "a", que neste caso se combina com "onde", formando "aonde" ("você vai a + onde?"). Poderia, em outro exemplo, se unir com o artigo "o" ("eu vou ao mercado"), ou então com artigo "a", formando a crase ("eu vou à praia") ou então não se combinar com ninguém, provocando uma indefinição devido à falta do artigo definido ("eu vou a praias"). Geralmente os verbos que exigem preposição "a" são verbos que expressam movimento e é daí que vem a "liçãozinha" de que só usamos "aonde" com verbos de movimento. Essa regrinha não tem qualquer fundamento etimológico porque não tem nada a ver com etimologia ("aonde", por si só, não significa movimento), mas sim com gramática, pois está fundamentada na regência verbal (o advérbio "onde", quando usado juntamente com verbos que denotam movimento, se combina com a preposição "a", que é característica da regência desses verbos). Uma coisa é a etimologia de uma palavra. Outra coisa é gramática de uma língua num determinado estágio de sua evolução.

      Voltando à questão: o "a", de "aonde", não cai do céu; esse "a" precisa vir de algum lugar: ele vem da regência do verbo que acompanha a palavra. Agora eu pergunto a você: o que seria "daonde"? De onde veio a preposição "de", se eu já estou usando a preposição "a"? Que verbo rege as preposições "de" e "a" ao mesmo tempo? Qual é o fundamento gramatical que você utiliza para explicar a contração ("de+aonde") entre uma preposição e uma combinação ("a+onde")? A contração "da" só seria possível se "a" fosse um artigo, já que "de" é uma preposição, mas como vou usar artigo definido diante de "onde"?

      Em outras palavras: "daonde" = preposição + preposição + advérbio, o que não faz sentido. Considerar que essa construção é válida, no contexto da modalidade padrão, ignora completamente a natureza das preposições e as regras de regência verbal. Por outro lado, "donde" é uma contração válida (preposição+advérbio) e "aonde" é uma combinação válida (preposição+advérbio).

      É por isso que é equivocado, segundo a norma culta, perguntar "você veio da onde"? Se "da" é a contração da preposição "de" com "a", o que seria "a"? Não poderia ser artigo definido, pois o que vem a seguir é o advérbio "onde" (eu precisaria ter uma palavra feminina para poder usar o artigo). Nem pode ser preposição, pois a preposição exigida pelo verbo é "de".


      OBS: deixo claro que, nesta postagem, eu estou trabalhando com a modalidade padrão da língua, ou seja: estou trabalhando com a gramática prescritiva. É perfeitamente possível que possamos encontrar a ocorrência de "daonde" na modalidade coloquial ou informal da língua, mas à luz da norma padrão, essa expressão é inadequada.

      Excluir

© Blog do Gramaticando - 2019. Todos os direitos reservados.
Autor: Vinícius Souza.
Tecnologia do Blogger.