Fonologia (Aula 1): fonema, dígrafo e dífono

Olá pessoas de todo o Brasil, de todo o mundo (e, quem sabe, de outros planetas 👽)

A partir de agora, nós vamos estudar Fonologia, uma parte da matéria que estuda o sistema sonoro de uma língua, ou seja: estuda os sons das palavras. Nesta primeira parte, vamos entender o que é fonema.

FONEMA


As palavras são formadas por letras e cada letra tem um som. Esse som é chamado de fonema. Portanto, o fonema nada mais é do que o som de uma letra. Porém, existe letra que não têm som (como a letra "H", por exemplo). Às vezes, uma letra pode ter mais de um som (mais de um fonema). Às vezes, duas letras podem ter o som de uma.


Não entendeu? Calma, não precisa me xingar. Vamos explicar por partes, caso a caso. Veja o exemplo abaixo:

Este relógio é muito CARO

A palavra CARO tem quatro letras (C, A, R, O) e cada letra tem um som específico. A letra "C", por exemplo, tem som de "K". Já a letra "O", por exemplo, costuma ser pronunciada como "U". 

Ou seja:

A gente escreve "CARO", mas na realidade falamos "KARU". Trata-se, então, de uma palavra com 4 letras ("CARO") e 4 fonemas ("KARU"), já que cada uma das quatro letras tem um fonema (um som). A letra é somente uma representação gráfica, enquanto que o fonema é o som dessa letra.

Outros exemplos:

A palavra CASA tem quatro letras (C, A, S, A) e quatro fonemas ("CAZA")
A palavra PAPEL tem cinco letras (P, A, P, E, L) e cinco fonemas ("PAPEU")

Viu? Tranquilo, não? Agora veja o próximo exemplo:

LETRA SEM SOM

Eu vou comprar o relógio HOJE.

A palavra HOJE tem quatro letras (H, O, J, E), mas a letra "H" não tem som, ou seja: na hora da fala, nós falamos "OJE". Portanto, a palavra HOJE tem quatro letras ("HOJE") e três fonemas ("OJE"), pois a letra "H" não tem som.


DUAS LETRAS COM UM SOM (DÍGRAFO)


Eu QUERO comprar o relógio.

A palavra QUERO tem cinco letras (Q, U, E, R, O), sendo que as letras "Q" e "U" são pronunciadas juntas, como se fossem uma única letra: "K" ("KERO"). Portanto, aconteceu aqui um dígrafo: duas letras com um único som.

Veja outro exemplo:


Eu perdi a CHAVE de casa.

A palavra CHAVE tem 5 letras (C, H, A, V, E), sendo que as letras "C" e "H" são pronunciadas juntas, como se fossem uma única letra: "X" ("XAVE"). Portanto, também aconteceu um dígrafo: duas letras pronunciadas com um único som. 

Os dígrafos podem ser consonantais ou vocálicos. Os dígrafos consonantais são: SS, RR, CH, LH, NH, SC, SÇ, XC, XS, além de QU e GU (quando "U" não é pronunciado). Veja:

Eu vou ASSAR carne com ALHO.
Eu vou CORRER na CHUVA.
Eu QUERO DESCER as escadas. 

Observe que "QU" e "GU" serão dígrafos quando o "U" não for pronunciado. Exemplo:

Eu QUASE caí do FOGUETE

Na palavra QUASE, nós pronunciamos o "U" (nós não falamos "KASE", mas sim falamos "KUASE"). Portanto não é um dígrafo. Já na palavra "foguete", nós não pronunciamos o som do "U". Nesse caso, é um dígrafo (as letras "GU" têm somente um fonema, um som).

Então, resumindo:

ASSAR: 
4 fonemas (A / SSA / R)

ALHO: 
3 fonemas (A / LHO)

CORRER: 
5 fonemas (C / O / RRE / R)

CHUVA: 
4 fonemas (CH / U / V / A)

QUERO: 
4 fonemas (QU / E / R / O)

DESCER
5 fonemas (D / E / SC / E / R)

QUASE
5 fonemas (Q / U / A / S / E)

FOGUETE
6 fonemas (F / O / GU / E / T / E)


UMA LETRA COM DOIS SONS (DÍFONO)

Já vimos que o dígrafo ocorre quando duas letras são pronunciadas como se fossem uma só. Porém, é possível que aconteça o contrário: é possível que uma letra tenha o som de duas. Veja:

Eu vou de TÁXI

A palavra TÁXI  tem 4 letras, mas a gente pronuncia TÁKSI, ou seja: a letra "X" é pronunciada como se fosse duas letras (TÁKSI). Portanto, trata-se de um dífono (uma letra com dois sons). Sendo assim, TÁXI tem 4 letras e 5 fonemas (pois a letra "X" tem dois sons).

NASALIZAÇÃO (DÍGRAFO VOCÁLICO)

Para finalizar essa primeira parte, vamos falar da nasalização. As letras "M" e "N" têm som nasal e, quando aparecem depois de vogais, o som nasal "se mistura" ao som dessas vogais. Então, temos aí duas letras com o som de uma, já que o som do "M" ou do "N" se junta ao som da vogal. É por isso que esse também é um caso de dígrafo (chamado de dígrafo vocálico). Veja o exemplo:

Perdi a TAMPA da caneta.

A palavra TAMPA tem cinco letras (T, A, M, P, A), mas a letra "M" aparece logo depois de uma vogal, ou seja: a gente fala "TÃPA" (com "A" nasalizado). Portanto, trata-se de uma palavra com 5 letras e 4 fonemas, pois o som da letra "M" se mistura com o som da letra "A", nasalizando a letra "A".

Outros exemplos:

A palavra PENTE tem 5 letras (P, E, N, T, E) e 4 fonemas (PTE), com "E" nasalizado pelo som de "N".
A palavra TINTA tem 5 letras (T, I, N, T, A) e 4 fonemas (TĨTA), com "I" nasalizado pelo som de "N".

Isso ocorre com AM, AN, EM, EN, IM, IN, OM, ON, UM e UN. Cada um desses pares é pronunciado com um único som (um único fonema). São dígrafos vocálicos.


RESUMINDO 

Fonema se refere ao som das palavras.
- É possível haver letra sem som (como "H", de "HOJE").
- É possível haver duas letras com som de uma (como "QU", de QUERO). Trata-se de dígrafo
- É possível haver uma letra com som de duas (como "X" de TÁXI). Trata-se de dífono.
- Vogais seguidas de "M" ou "N" são nasalizadas (como "AM", de TAMPA). 

CONTINUE ESTUDANDO:

O próximo assunto que nós vamos estudar é o conceito de semivogal. Você precisa entender o que é semivogal para poder entender o que são ditongos e tritongos.

                    ROTEIRO "FONOLOGIA"                     

Próxima aula:
AULA 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Blog do Gramaticando - 2019. Todos os direitos reservados.
Autor: Vinícius Souza.
Tecnologia do Blogger.