Classificação dos substantivos

Já definimos e dissemos o que é um substantivo (clique aqui para rever). Agora, como a gramática adora classificar as coisas, vamos ver a classificação deles. Vamos começar com a clássica diferença entre os substantivos concretos e abstratos.

CONCRETOS X ABSTRATOS

Essa, talvez, seja a maior dúvida entre os estudantes quanto à classificação dos substantivos. A titia no primário dizia: "substantivo concreto é o que existe e o abstrato é o que não existe". Ou então, ela disse: "concreto é aquilo que pode desenhar e abstrato é o que não pode". Pois bem... a tia ensinou errado. Veja a verdade:

Substantivos concretos são aqueles que existem por si só
os abstratos são os que dependem de outros substantivos para existirem. 


NÃO ENTENDI NADICA DE NADA!


Calma... veja o exemplo:


João sentiu felicidade porque ganhou um grande desconto na loja






João é o nome de uma pessoa e ele existe. Logo, João é substantivo concreto. Por outro lado, a felicidade (nome de um sentimento) precisa de alguém para existir (pois um sentimento existe porque alguém sente esse sentimento). Se ninguém sentir felicidade, ela não existe, entendeu? Portanto, os sentimentos são substantivos abstratos (depende de alguém para existir, para se manifestar).

AINDA NÃO ENTENDI!

Se você não entendeu agora vai entender. Observe estas duas frases:


A esteira de Janete.
A beleza de Janete.


Agora, vamos supor que Janete foi caminhar na esteira e morreu de forma misteriosa.





A Janete morreu, mas a esteira dela continua existindo, já que a esteira independe de Janete para existir. É por isso que esteira é um substantivo concreto (é algo que existe por conta própria).

A Janete morreu, então a beleza dela se foi junto com ela, não é verdade? Isso ocorre porque beleza é um substantivo abstrato (só existe em função de algo, ou seja: depende de outro substantivo para existir).



Atenção: Deus é substantivo concreto, assim como diabo, anjo, demônio, fada, gnomo, duende e papai noel. Esses seres existem: se você não acredita, eles existem no mundo imaginário (e se você acredita, eles existem no mundo real). Não importa se eles existem no mundo imaginário ou no mundo real: o que importa é que eles simplesmente existem (não dependem de ninguém para existir... simplesmente existem).


DICAS


Essa questão sobre a existência das coisas é algo um tanto filosófico e pode confundir mesmo, já que vai além da gramática. Então, aí vão algumas dicas:

De um modo geral, são substantivos abstratos: nome de ações ("canto", de cantar; "corrida", de correr; "venda", de vender; "nado", de nadar, etc), sentimentos (felicidade, amor, tristeza, vergonha), sensações (fome, sede, calor), virtudes e qualidades (bondade, fé, inteligência, paz, justiça, liberdade).

E, de modo geral, são substantivos concretos tudo o que não for substantivo abstrato, tendo existência própria: pessoas (João, José, Maria, Astolfo, Paulo, Chico), lugares (Brasil, Rio de Janeiro, Marte, Europa, Ponta Grossa), objetos e aparelhos (colher, copo, computador, celular), animais, frutas, vegetais e minerais (cavalo, burro, alface, tomate, maçã, banana, ferro, ouro).

Porém, não se engane, pois também são substantivos concretos: fenômenos naturais (chuva, dia, noite, temporal, vento), entidades (Deus, espírito, demônio, diabo, fada, duende, gnomo) e conceitos matemáticos (algarismo, número, linha, triângulo). Cuidado com a pegadinha: tempo, oxigêniodinheiro também são substantivos concretos.


PRÓPRIOS X COMUNS

Os substantivos próprios são os nomes que identificam pessoas, empresas, lugares, enfim... são aqueles nomes escritos sempre com letra maiúscula. Os substantivos próprios são aqueles que individualizam alguém (ou algo), identificando algo específico, único. Exemplos: Pedro, Rede Globo, Volkswagen, Brasília, Austrália, Júpiter, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Ministério da Saúde, etc.

Tirando os próprios, o que restam são os substantivos comuns, que nomeiam as coisas de um modo mais genérico: homem, empresa, cidade, planeta, universidade etc.



PRIMITIVO X DERIVADO 

Os substantivos derivados são criados a partir de um primitivo. Por exemplo, o substantivo "pobreza" é derivado de "pobre". Logo, "pobreza" é derivado e "pobre" é primitivo. Os substantivos derivados são formados por acréscimo de afixos (prefixos e sufixos).

Burrice é uma palavra derivada de burro



Observação: As palavras podem mudar de classe gramatical de acordo com o contexto. "Burro" pode ser tanto substantivo, indicando o animal ("o burro está amarrado a uma cadeira"), como também pode ser adjetivo, indicando uma característica pejorativa, ofensiva (esse cara é muito burro!). Veremos a classe dos adjetivos mais adiante.  

SIMPLES X COMPOSTOS

Como os próprios nomes dizem, os substantivos simples são formado por apenas um radical, enquanto que os compostos são formado por mais de um radical. Exemplo: "flor" é substantivo simples, mas "couve-flor" é substantivo composto (couve + flor).

COLETIVOS

Nada mais é do que o substantivo que expressa um conjunto de substantivos. Ex: molho (conjunto de chaves), alcateia (grupo de lobos). arquipélago (conjunto de ilhas), atlas (conjunto de mapas) etc.

OUTRAS CLASSIFICAÇÕES 

Além dessas classificações, temos também os substantivos sobrecomuns, epicenos e comum de dois gêneros. Essas classificações estão associadas  ao gênero (masculino ou feminino) que o substantivo pode assumir.


Sobrecomum: possui uma forma fixa quanto ao gênero (serve tanto para seres do sexo masculino quanto para seres do sexo feminino).

Ex: a palavra "criança" é feminina, mas pode se referir a seres do sexo masculino ou feminino (criança pode ser menino ou menina).

Epiceno: substantivo que precisa estar acompanhados de "macho" ou de "fêmea" para o gênero do animal poder ser identificado.

Ex: "cobra" macho ou "cobra fêmea" (não existe "cobro").

Comum de dois gêneros: é aquele substantivo em que o gênero é identificado somente por meio dos artigos e pronomes. O substantivo não varia, permanecendo o mesmo independentemente do gênero.

Exemplos: "o adolescente", "um adolescente", "esse adolescente", "aquele adolescente". Em todos esses casos, nós sabemos que adolescente é do sexo masculino só por causa do uso dos artigos e dos pronomes. Se fosse do sexo feminino, bastaria dizer: "a adolescente", "uma adolescente", "essa adolescente", "aquela adolescente". Portanto, "adolescente" é um substantivo comum de dois gêneros.

* * *

Nos dois próximos artigos nós vamos estudar um assunto que gera muitas dúvidas, que são os plurais dos substantivos simples e compostos. Os professores adoram colocar isso nas provas...



35 comentários:

  1. obrigada, me ajudou mto no trabalho de lingua portuguesa.. valeeeeeeu!!! :) Crysthian Gonçalves dos Santos- SP

    ResponderExcluir
  2. Está correto??: Já definimos e dizemos o que é um substantivo?? não é: Já definimos e dissemos o que é um substantivo?? Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, são tempos verbais diferentes. Muito obrigado pela sua correção!

      Excluir
  3. Cobro? Morri de rir. Estudar se divertindo é maravilhoso

    ResponderExcluir
  4. Uma duvida ali no ultimo exemplo, o substantivo comum de dois gêneros no caso é "personagem" ou os artigos "a" e "o"? Porque são os artigos que estão em negrito e isso me confundiu um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, o substantivo é "personagem". Os artigos estão em negrito para ressaltar que "personagem" pode ser tanto uma palavra feminina ("a") como masculina ("o").

      Excluir
  5. Nossa parabéns ,, vcs são incríveis

    ResponderExcluir
  6. Olá,são ótimas as informações, mas estou com a seguinte dúvida: estou estudando em um livro de gramática que cita o substantivo mulher como substantivo concreto, o que me parece estar dentro dos critérios, porém mulher não seria substantivo comum também? É possivel um substantivo concreto ser comum também? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Na verdade, há mais de um tipo de classificação de substantivos. Num aspecto, eles podem ser simples ou compostos. Em outro, eles podem ser abstratos ou concretos. Em outra classificação, eles podem ser próprios ou comuns. A palavra "mulher", por exemplo, é um substantivo simples, concreto e comum. O que não pode acontecer é dizermos que um substantivo é simples e composto ao mesmo tempo, ou então concreto e abstrato ao mesmo tempo.

      Excluir
    2. Tbm fiquei com essa dúvida, mas com a sua resposta me veio outra dúvida,kkk... Por que não pode ser dito que um substantivo é composto e simples ao mesmo tempo, ou concreto e abstrato ao mesmo tempo? Se mulher é um substantivo simples, comum e concreto, por que ao mesmo tempo? Obrigada

      Excluir
    3. Imagine que o substantivo possui várias classificações: tudo depende do tipo de classificação. Numa classificação, eles podem ser simples (formados por uma única palavra, como "porta") ou podem ser compostos (formados por mais de uma palavra, como "porta-malas"). Agora, em outra classificação, eles podem ser próprios (nome de pessoas, como "Geraldo") ou comuns (nomes comuns, como "lápis"). Logo, os substantivos possuem mais de uma classificação. "Porta-malas" é um substantivo comum (porque não é nome de gente nem de lugar: é comum), é também um substantivo composto (porque é formado por duas palavras e não por uma) e também é concreto (não é sentimento nem virtudes, como os substantivos abstratos).

      Portanto, existem vários tipos de classificação: simples ou composto, concreto ou abstrato, primitivo ou derivado, próprio ou comum, etc... Um substantivo pode ter vários tipos de classificações. Não pode ser simples e composto ao mesmo tempo (não tem como uma palavra ser formada, ao mesmo tempo, por uma única palavra e também por mais de uma palavra), mas pode ser simples e próprio ao mesmo tempo (pode ser formado por uma única palavra e pode ser o nome de um lugar ou de uma pessoa).

      Faça o seguinte: entenda bem cada classificação (simples, composto, concreto, abstrato, etc...); Depois que você entender o que é cada uma, faça o teste: escolha um substantivo e se pergunte se ele é simples, se ele é composto, se ele é concreto, se ele é abstrato e etc... Você verá que ele tem várias classificações porque existem vários tipos de classificação.

      Excluir
  7. Adorei estudar por aqui! :D

    Laís

    ResponderExcluir
  8. consegui fazer a atividade huehuehuehueBR

    ResponderExcluir
  9. Obrigada, muito bom! Vou estudar melhor agora...

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde.
    "Desconto" é substantivo abstrato?
    Para haver desconto, é necessário que exista um elemento ao qual o desconto se aplique.
    Acertei?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, seu raciocínio está correto.

      Excluir
    2. Obrigada.
      Desculpe, perguntei a mesma coisa duas vezes. Não percebi.

      Excluir
  11. Eletricidade é um substantivo concreto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Eletricidade é um fenômeno físico e concreto, assim como as manifestações da natureza (chuva, relâmpago, terremoto, neve, tempestade, etc...). Portanto, podemos considerar a Eletricidade um substantivo concreto sim.

      Excluir
  12. Cara, que material maravilhoso! Caiu como uma luva para mim, que estava sem saber nem por onde começar a estudar. Agora posso me situar nos assuntos principais da matéria: estudando aqui no Blog, e complementando com os livros e provas.
    Muito obrigado! Vai me ajudar muitíssimo.

    Josiael Silva

    ResponderExcluir
  13. Também está me ajudando muito, espero que esse blog continue a me ajudar, pois não sabia nem por onde começar, agora estou indo bem.

    ResponderExcluir
  14. Neste caso, o substantivo epiceno é usado excepcionalmente para animais. É isso que o diferencia do Substantivo Comum de dois gêneros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o epiceno é usado somente para os animais. Afinal, somente os humanos e os animais são classificados pelo sexo feminino ou masculino e, dos dois, apenas os animais são classificados como "macho" ou "fêmea".

      No comum de dois gêneros, o sexo é diferenciado apenas pelo artigo que aparece antes da palavra ("o motorista" ou "a motorista", "o adolescente" ou "a adolescente", "um jovem" ou "uma jovem").

      Excluir
  15. To gostando muito ! muito melhor que a apostila que comprei :)

    ResponderExcluir
  16. "Não existe cobro" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, adorei!

    ResponderExcluir
  17. Parabéns, muito bom não tinha ideia de como estudar.

    ResponderExcluir
  18. Parabéns, muito bom não tinha ideia de como estudar.

    ResponderExcluir
  19. Muito bom, fantástico, de muito fácil compreensão, mas gostaria de saber se posso repassar!

    ResponderExcluir