Complemento Nominal

Dando continuidade ao nosso estudo sobre Análise Sintática (veja o início aqui) nós vamos falar hoje sobre o Complemento Nominal.

Antes nós vimos que o objeto é o termo que completa o sentido da oração e vimos que ele pode ser classificado como direto ou indireto (além de preposicionado, pleonástico e cognato). 

O Complemento Nominal também é um complemento (do mesmo estilo do objeto), porém ele não completa o sentido de um verbo, mas sim completa o sentido de um substantivo abstrato, de um advérbio ou de um adjetivo.

Vamos, inicialmente, lembrar a ideia de "objeto". Veja este exemplo:

Astolfo gosta.

A oração está incompleta, portanto precisamos completar o sentido do verbo "gostar", dizendo o que o Astolfo gosta. Para completar o sentido do verbo, nós usamos um objeto:

Astolfo gosta de água.

O termo "de água" é objeto indireto e aparece depois do verbo "gostar".

Agora, veja este exemplo:

Astolfo tem necessidade. 

Observe que essa oração está incompleta. Surge uma pergunta no ar: "Astolfo tem necessidade do quê?" É preciso completar o sentido dessa oração. Portanto, a oração precisa de um complemento. Vamos inventar um:

Astolfo tem necessidade de atenção




O termo "de atenção" completa o sentido da oração. Porém, ele não está completando o sentido de um verbo (coisa que o objeto faz). Observe que "de atenção" está completando o sentido da palavra "necessidade" (um substantivo abstrato).

Portanto, "de atenção" é um Complemento Nominal. Ele tem a mesma função do objeto (completar o sentido da oração), mas ele não aparece depois de um verbo, mas sim depois de um substantivo abstrato, de um advérbio ou de um adjetivo.

Além disso, o complemento nominal sempre tem preposição.


Resumo da Ópera:



Objetos completam o sentido dos verbos e complementos nominais completam 
o sentido de substantivos (abstratos), advérbios e adjetivos. 


Para continuar os seus estudos, consulte o MENU de Análise Sintática e 
escolha o assunto de sua preferência:

IR PARA O MENU


18 comentários:

  1. Amigo, uma pequena correção: Mais acima, após a frase sobre o Pancinha, a pergunta na explicação deve ser "... é preciso exclarece Do que PANCINHA tem necessidade, certo?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correto. Muito obrigado. Foi um erro de digitação cometido por conta da atualização da postagem, onde o nome "Zucrildo" foi trocado por "Pancinha". Passou despercebido por mim. Muito obrigado pela correção.

      Excluir
  2. Vinic, boa tarde!
    Estou muito animada com o seu blog, pois estou começando a entender algumas regras de português, finalmente!
    mas os exemplos a cina me deixaram confusa, pois acredito que oa dois complementos sao nominais.
    você poderia rever as explicações?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, você tem razão. Realmente foi um erro de digitação. Muito obrigado! A postagem foi atualizada.

      Excluir
    2. Obrigada!
      você é uma luz nessa "escuridão gramatical" rsrs

      Excluir
  3. Na frase: Burineu sente saudades de casa.
    Burineu - Sujeito.
    Sente - Seria verbo transitivo direto ou transitivo direto e indireto?
    saudades de casa - seria o objeto?
    Entendi que de casa é o complemento nominal. Ok. Aguardo esclarecimento.
    Obrigado desde já. Gostei muito desse Blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá David.

      O verbo "sentir" é transitivo direto. Basta seguir o modelo: "quem sente, sente ALGUMA coisa".

      No exemplo dado, temos: "Burineu sente saudade". Burineu é sujeito, sentir é o verbo e "saudade" seria teoricamente o objeto direto (o complemento verbal de "sentir"). O problema é que "saudade" não é suficiente para dar sentido a oração. Ainda fica uma pergunta no ar: "saudade de quê?". Para dar o sentido completo, precisamos de mais um complemento para complementar "saudade". Como "saudade" não é verbo (é substantivo), "saudade" será complementada pelo complemento nominal "de casa".

      Portanto, "de casa" é o complemento nominal do substantivo "saudade", que por sua vez é o complemento verbal (objeto direto) do verbo "sentir".

      Além de substantivos, os complementos nominais completam o sentido de advérbios e de adjetivos.

      Excluir
  4. Oi tb?
    Eu achei muito confuso o blog *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nas abas do menu suspenso há uma opção que diz "como estudar português". Lá é possível encontrar o blog organizado por assuntos (roteiros de estudo). Caso ainda ache o blog confuso, vou trabalhar para melhorá-lo. Sua observação é importante e é válida.

      Excluir
  5. Estou amando suas explicações , são simples e diretas .Parabéns e obrigada.

    ResponderExcluir
  6. O seu blog ameniza um pouco o meu ódio de estudar português! Parabéns!! kkkkkkkkk
    Odeio igual e especialmente os complementos nominais e os adjuntos adnominais...
    Se algum dia você pudesse me ensinar a odiá-los diferentemente, eu ficaria muito agradecido...

    ResponderExcluir
  7. parabéns pela iniciativa, estou estudando para concursos e utilizo seu blog como fonte de pesquisa rápida.

    ResponderExcluir
  8. Ei professor, naquela frase ali Pancinha tem necessidade de atenção. "Necessidade" seria objeto direto e "de atenção" complemento nominal ?? Vlw teu blog éh Ótimo !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segundo a definição dos termos sintáticos da oração, você está correto.

      Excluir
  9. Oi! Estou estudando Português pelo seu blog há quatro dias, e nesse espaço de tempo já aprendi mais do que todas as aulas de gramática que tive durante o semestre inteiro. Gostaria apenas de deixar meu profundo agradecimento, principalmente pelo modo divertido em que a língua é ensinada aqui. Por vezes caí na gargalhada enquanto estudava. Conseguir conciliar estudo e diversão de um modo efetivo é muito difícil, mas quando acontece, resulta numa experiência incrível. Recomendei o blog para todos meus amigos que tinham dificuldade em português, e eles certamente farão tanto proveito quanto eu. Mais uma vez, muito obrigada <3

    ResponderExcluir
  10. Muito obrigado pela ajuda, professor. Seu site é uma excelente ferramenta de estudo, principalmente quando queremos uma explicação sucinta, mas completa.
    Obrigado.
    Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  11. Muito obrigado professor! Nunca pare com esse blog, ele é fantástico e a forma que você explica é muito didática, graças a ele estou começando a odiar menos a gramática, sentimento que eu mantinha por mais de 15 anos!!!

    ResponderExcluir