Objeto Direto Cognato (ou Objeto Direto Interno)




Hoje nós vamos falar a respeito do Objeto Direto Cognato, que também pode ser chamado de Objeto Direto Interno.



Mas que diacho é isso?

Bem, você já aprendeu que os verbos intransitivos são aqueles que não exigem complemento. Se você não sabe o que é verbo intransitivo então veja as aulas anteriores clicando aqui.

Veja um exemplo de oração com verbo intransitivo:

Fulano morreu

Veja que essa oração só tem sujeito ("Fulano") e verbo ("morreu"). Ela não precisa de objeto porque o sentido dela está completo (portanto, o verbo "morrer" é um verbo intransitivo).

Porém, o mundo é uma caixinha de surpresas e até mesmo os verbos intransitivos (que não exigem objeto) podem ganhar um objeto (mesmo não precisando). A oração "fulano morreu" pode ganhar um objeto que repete a ideia transmitida pelo verbo intransitivo. Esse objeto é chamado de cognato (ou interno). 

Veja um exemplo para você entender melhor:

Fulano morreu uma morte terrível

Você já viu que "morrer" é um verbo intransitivo. Porém, essa oração ganhou um objeto que repete a ideia do verbo "morrer" ("morreu uma morte"). Então, "uma morte terrível" é um objeto direto cognato (ou objeto direto interno).

Outros exemplos:

Fulano sonhou um sonho legal.

Fulano vive uma vida tranquila

Fulano dormiu um sono profundo.

Fulano sorriu um sorriso grande.

Fulano sorrindo (sim, ele é um cachorro)


Veja que o objeto cognato repete a ideia verbo (tem o mesmo significado), como se fosse algo redundante: "sonhou um sonho", "vive uma vida". "dormiu um sono", "sorriu um sorriso". O objeto pode ser o próprio verbo funcionando como substantivo (ex: "sonhar um sonho") ou pode fazer parte do grupo de ideias associadas ao verbo (ex: "dormir um sono"). 


Resumindo

O Objeto Direto Cognato (ou interno) é aquele que se liga ao verbo intransitivo, repetindo a ideia que o verbo expressa (sonhar um sonho, viver uma vida, dormir um sono, sorrir um sorriso). Será sempre um objeto direto (sem preposição). Logo, não existe "objeto indireto cognato", por exemplo. 

Próximo Assunto

No próximo artigo, nós vamos estudar o Complemento Nominal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário