Adjunto Adnominal ou Complemento Nominal?




Um assunto clássico da Análise Sintática que costuma nos confundir é a diferença entre Adjunto AdnominalComplemento Nominal e hoje nós vamos resolver essa dúvida de uma vez por todas. 

Antes de mais nada, eu preciso lembrar de uma coisa: o complemento nominal é o termo que completa o sentido de um advérbio, de um adjetivo ou então de um substantivo abstrato, enquanto que os adjuntos adnominais se ligam aos substantivos. Além disso, os adjuntos são termos acessórios (secundários), enquanto que os complementos nominais são termos integrantes (ou seja: a oração perde o sentido com a falta do complemento nominal). 

Vamos ver, agora, o nosso primeiro método para diferenciar os adjuntos adnominais dos complementos.

Método 1 - verifique a classe gramatical


Adjunto Adnominal: sempre se liga a substantivos (concretos ou abstratos).

Complemento Nominal: pode se ligar a advérbios, a adjetivos ou então a substantivos abstratos

Exemplos:

Eu odeio seu relógio de ouro

A expressão "de ouro" está ligada à palavra "relógio", que é um substantivo concreto. Portanto, "de ouro" é um adjunto adnominal.

Minha namorada está cheia de ciúmes

A expressão "de ciúmes" está ligada à palavra "cheio", que é um adjetivo. Portanto, "de ciúmes" é um complemento nominal, já que adjunto adnominal não se liga a adjetivos. 





Existe outro método que é capaz de resolver grande parte das dúvidas que misturam o complemento nominal com adjunto adnominal (especialmente quando as orações envolvem substantivos abstratos). Veja abaixo:

Método 2 - verifique se o termo indica um "ser ativo" ou "ser passivo"

Adjunto Adnominal: indica ação (um ser ativo que realiza alguma ação).

Complemento Nominal: indica passividade (um ser passivo que é alvo de alguma ação)


Exemplos:

O avião 14 BIS foi uma invenção de Santos Dumont.

A palavra "invenção" é um substantivo abstrato (derivado do verbo "inventar", ou seja: derivado de uma ação). Então, como eu vou saber se "de Santos Dumont" é complemento nominal (completa o sentido da palavra "invenção") ou então um adjunto adnominal? Bem, se "de Santos Dumont" expressar um ser ativo, então essa expressão será um adjunto adnominal. Caso contrário, será um complemento nominal. 

Análise: Santos Dumont inventou o avião, portanto Santos Dumont é um ser ativo (ser que realiza e executa alguma ação que, nesse caso, foi a ação de inventar o avião). Então, nesse caso, "de Santos Dumont" é um adjunto adnominal (expressa ação). 





Veja mais alguns exemplos:

A invenção do avião mudou o mundo. 


O avião não inventa nada (não é ser ativo), mas sim foi inventado por alguém. Como ele foi inventado por alguém, então "do avião" tem caráter passivo (é um ser passivo, é o alvo da invenção). Portanto, nesse caso, "do avião" é um complemento nominal


A invenção de Santos Dumont mudou o mundo. 

Santos Dumont fez a invenção (é o ser ativo que realiza alguma coisa). Portanto, nesse caso, "de Santos Dumont" é um adjunto adnominal (mesmo caso do primeiro exemplo). 

Chiquinho tem necessidade de tempo

Nesse caso, o tempo é um ser paciente, já que o tempo não realiza nenhuma ação, mas sim é o alvo da necessidade de Chiquinho (está sendo alvo de uma ação). Portanto, "de tempo" é um complemento nominal

4 comentários: