Sujeito

tags: análise sintática, vinicblog, blog do gramaticando, gramática, sujeito, classificação do sujeito, determinado simples composto indeterminado inexistente oculto implícito desinencial 

Na postagem anterior nós começamos a estudar Análise Sintática, observando a estrutura básica das orações (você pode ler a postagem anterior clicando aqui).  Hoje nós vamos falar a respeito de uma dessas estruturas, que é o sujeito.

O sujeito é o termo da oração que executa a ação (verbo). Vamos retomar o exemplo da postagem anterior

Joana comprou um cachorro


Quem fez a ação de comprar o cachorro? E a resposta é: Joana. Logo, Joana é o sujeito da oração. 

Agora, veja outro exemplo:

O motorista do carro azul precisou de ajuda

Pergunto para você: quem precisou de ajuda? Resposta: “o motorista do carro azul”.

Portanto, o sujeito não é uma palavra única, mas sim é toda a expressão “o motorista do carro azul”. Observe que, dentro dessa expressão, existe uma palavra que possui todo o significado do sujeito, que é a palavra “motorista”. As outras palavras (carro azul) dão mais detalhes do sujeito, mas a palavra central, ou seja, o núcleo, é "motorista". Logo, "motorista" é o núcleo do sujeito "o motorista do carro azul". Portanto, esse sujeito possui um núcleo (eu poderia apenas dizer "o motorista precisou de ajuda"). 

 Joaquim e Nabuco trabalham na mecânica.



Quem trabalha na mecânica? Resposta: “Joaquim e Nabuco”. Portanto, o sujeito dessa oração é “Joaquim e Nabuco”. Veja que eu não posso separar o sujeito: tanto Joaquim como Nabuco trabalham na mecânica. Portanto, esse sujeito tem dois núcleos, já que não posso concentrar todo o significado do sujeito em um termo único.

 A partir daí, já podemos classificar nosso sujeito: quando ele tem apenas um núcleo, ele é denominado “sujeito determinado simples” e quando tem mais de um núcleo ele é denominado “sujeito determinado composto”.

Agora veja este exemplo:

Bateram meu carro! 



 Quem bateu o carro? Resposta: eu não sei! Simplesmente, alguém bateu. Eu não sei quem foi!

 Portanto, quando você não é capaz de determinar o sujeito ele será classificado como “indeterminado”.

O sujeito indeterminado sempre vai ocorrer quando o verbo estiver conjugado na 3ª pessoa do plural (eles/elas). Veja que, pelo exemplo, poderíamos entender "eles bateram meu carro" ou "elas bateram meu carro". Por isso, o sujeito é indeterminado: não temos como saber quem executou a ação.

Afinal, não é assim que a gente fala quando não sabemos quem realizou a ação? Se você está em casa e não sabe quem largou o sapato no meio do caminho você pode falar algo do tipo: "Deixaram este sapato bem aqui! Quem foi?!".

Veja outros exemplos de sujeito indeterminado:

Nunca falaram sobre esse assunto para mim. 
Onde esconderam o meu cachorro?
É bom resolverem esse problema logo!

O sujeito também pode ser indeterminado se eu, ao invés de usar um verbo conjugado na 3ª pessoa usar o verbo no infinitivo (terminado em "ar", "er" ou "ir"). Exemplo:

É bom resolver esse problema logo!

Ao invés de escrever "resolverem", eu escrevi "resolver" (o verbo está no modo infinitivo, terminando em "er"). Mesmo assim, o sujeito fica indeterminado, já que eu não sei quem está praticando a ação verbal.


Além disso, o sujeito será indeterminado quando o verbo conjugado na 3ª pessoa do singular for acompanhado pelo “-se”. Exemplo:

Mora-se muito mal aqui 

Próximo exemplo:

 Nevou muito ontem. 


Quem nevou? Bem, nesse caso estamos falando a respeito de algo natural, um fenômeno da natureza que ocorre de modo espontâneo. Logo, o sujeito será classificado como “inexistente”, ou então a oração será classificada como "sem sujeito". Outros exemplos são: chover, anoitecer, ventar... Todos esses verbos que não possuem sujeito são chamados de verbos impessoais. Portanto, para fenômenos da natureza, o sujeito é inexistente..

Além dos verbos que expressam acontecimentos naturais e meteorológicos, existem outros verbos impessoais. Os principais são:

1) "Haver" e "ser" com o sentido de "existir". Ex: "Há dez pessoas na sala / Eram dez pessoas na sala"

2) "Haver", "fazer" e "ser" indicando "tempo": Ex: "Isso foi há dez anos/ Faz dez anos que isso aconteceu/Agora é uma hora da tarde/São três horas".

3) "Bastar" ou "chegar" indicando ideia de "suficiente" (conjugados no modo imperativo). Ex: "Isso já basta! Já chega de mentiras!"


Próximo exemplo:

 Falamos com a treinadora de cães ontem. 




 Quem falou com a treinadora de cães ontem?. Resposta: nós.

 Logo, o sujeito é “nós”. Veja que o "nós" não aparece na oração, mas através da conjugação do verbo (falamos) chegamos a conclusão de que o sujeito é “nós” (nós falamos com a treinadora de cães ontem).

Logo, esse sujeito é classificado como “sujeito oculto”: ele não aparece, mas a gente sabe quem é.

Bem, vimos uma tonelada de informações. Portanto, vamos relembrar o que vimos: 

Sujeito determinado simples: quando tiver apenas um núcleo.  
Sujeito determinado composto: quando tiver mais de um núcleo. 
Indeterminado: com verbo na 3ª pessoa do plural.  
Inexistente: para verbos impessoais
Oculto (ou implícito): quando é determinado unicamente pela conjugação do verbo.

Observação importante:

Pronomes interrogativos ou indefinidos também podem ser sujeito. Exemplo:

Alguém destruiu meu tênis. Quem foi? 

Veja que o sujeito da primeira oração é "alguém". O sujeito da segunda é "quem".

HORA DE PRATICAR!

Agora, leia novamente esse artigo até você pensar: "eu entendi e gravei tudo". Quando você pensar isso então você terá que praticar o que aprendeu na teoria. Pegue uma folha de papel e faça a nossa lista de exercícios, clicando aqui (vai abrir em outra janela). É extremamente importante que você faça isso.

Somente depois de fazer isso eu sugiro que você continue seguindo o nosso roteiro de estudos:

PLANO DE ESTUDO "ANÁLISE SINTÁTICA SEM TRAUMA" 
CLIQUE PARA CONTINUAR


9 comentários:

  1. COMO SE ESCREVE? VENDE-SE COELHO OU VENDEM-SE COELHOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O correto é VENDE-SE COELHOS - sujeito INDETERMINADO, pois não sabemos precisar QUEM pratica a ação ( se é um homem, uma mulher ou um grupo de pessoas ). COELHOS não é sujeito, pois não pratica a ação de vender e sim o OBJETO DIRETO DO VERBO VENDER (quem vende vende algo, vende-se o que? COELHOS)
      Portanto, não há um sujeito determinado para concordar com o verbo!

      Excluir
    2. VENDEM-SE COELHOS.
      SUJEITO SIMPLES: COELHOS
      O verbo vender, na oração, é TRANSITIVO DIRETO; O SE é pronome apassivador; portanto, o verbo concorda com o sujeito ao qual se refere.

      Excluir
  2. muito bom, me ajudou muito... Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Muito bom saber que existem sites (ou blogs) assim: capazes de esclarecer a gramática sem deixar pistas que ela "possa" ser difícil, porque sabemos que isso não é verdade.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o site, mas eu acho que os exercícios disponveis deveriam ser classificados por assunto, porque se não acumula muito para depois tentar resolve-los. Nâo é por isso que deixarei de voltar ao site, estão de parabéns!

    Abs,

    Hugo. :)

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,estou com uma dúvida?!
    'A Samantha leu um livro de suspense no final de semana passado ."
    Os termos destacados são em analise sintática:

    a)Numeral ,substantivo,preposição e adjetivo

    b)Artigo,substantivo,preposição e substantivo

    c)Objetivo direto

    d)]Adjunto adnominal

    e)NENHUMA DAS ALTERNATIVAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quais são os termos destacados?

      Bem, a análise é esta:

      Sujeito: A Samantha
      Verbo: leu
      Objeto Direto: um livro de suspense

      Dentro do Objeto Direto, são adjuntos adnominais: "um", "de", "suspense"

      Adjunto Adverbial: no final de semana passado

      Só preciso saber quais são os termos destacados.

      Excluir
    2. Ah, e as letras A e B não podem ser a resposta correta porque indicam classificações morfológicas e não sintáticas (o enunciado pede classificação de acordo com a análise sintática). Poste novamente a questão, dizendo quais são os termos destacados.

      Excluir

Obrigado por comentar no Blog do Gramaticando!