Sujeito



Na postagem anterior, nós começamos a estudar Análise Sintática, observando a estrutura básica das orações (você pode ler a postagem anterior clicando aqui).  Hoje nós vamos estudar somente o sujeito.

O sujeito é o termo da oração responsável pelo o que o verbo faz. Vamos ao exemplo:

Joana comprou um cachorro


Quem fez a ação de comprar o cachorro? E a resposta é: Joana. Logo, Joana é o sujeito da oração. Joana é a responsável por comprar o cachorro, ou seja: é a responsável pela ação do verbo comprar. 

Agora, nós precisamos estudar a classificação do sujeito. Ele pode ser classificado como determinado simplesdeterminado composto, indeterminado, inexistente ou implícito. O seu objetivo, ao terminar de ler este post, é entender cada uma dessas classificações. 

Núcleo do Sujeito


Vamos ver, agora, o que é "núcleo" do sujeito. Veja este exemplo:


O motorista do Fusca precisou de ajuda


Pergunto a você: quem precisou de ajuda? Resposta: "o motorista do Fusca". Portanto, o sujeito não é uma palavra única, mas sim é toda a expressão “o motorista do Fusca”. 

Observe que, dentro dessa expressão, existe uma palavra que guarda todo o significado do sujeito, que é a palavra “motorista”. As outras palavras ("o", "do" e "Fusca") giram em torno desse núcleo (motorista). Logo, "motorista" é o núcleo do sujeito "o motorista do Fusca". Portanto, esse sujeito possui um núcleo ("motorista"). 

O núcleo é a palavra mais importante do sujeito: é a palavra que guarda todo o significado do sujeito. 

Agora, veja este exemplo:

 Joaquim e Nabuco trabalham na mecânica.



Quem trabalha na mecânica? Resposta: “Joaquim e Nabuco”. Portanto, o sujeito dessa oração é “Joaquim e Nabuco”. Veja que eu não posso separar Joaquim do Nabuco: tanto Joaquim quanto Nabuco trabalham na mecânica.

Portanto, esse sujeito tem dois núcleos, já que não posso concentrar todo o significado do sujeito em apenas um dos núcleos. Um núcleo é Joaquim e o outro núcleo é o Nabuco. Os dois são igualmente importantes para o significado do sujeito.

Sujeito Determinado Simples

É aquele que tem apenas um núcleo. Logo, "o motorista do Fusca" é um sujeito determinado simples.

Sujeito Determinado Composto

É aquele que tem dois ou mais núcleos. Logo, "Joaquim e Nabuco" é um sujeito determinado composto.

Sujeito Indeterminado

Vamos ver, agora, o sujeito indeterminado. Veja este exemplo:



Bateram meu carro! 



 Eu pergunto: quem bateu o carro? Resposta: eu não sei! Simplesmente, alguém bateu. Eu não sei quem foi! Portanto, quando você não é capaz de determinar o sujeito ele será classificado como “indeterminado”.

Tá... e como eu vou saber que eu não sei?

Primeiro Modo: o sujeito indeterminado sempre vai ocorrer quando o verbo estiver conjugado na 3ª pessoa do plural (verbos conjugados com "eles" ou "elas"). Veja que, pelo exemplo, poderíamos entender "eles bateram meu carro" ou "elas bateram meu carro". Por isso, o sujeito é indeterminado: não sabemos quem realizou a ação.

Afinal, não é assim que a gente fala quando não sabemos quem realizou a ação? Se você está em casa e não sabe quem largou o sapato no meio do caminho (como se fosse de propósito) você pode falar algo do tipo: "Deixaram este sapato bem aqui! Quem foi?!".

Veja outros exemplos de sujeito indeterminado:

Nunca falaram sobre esse assunto para mim. 
Onde esconderam o meu cachorro?
É bom resolverem esse problema logo!

Segundo Modo: O sujeito também pode ser indeterminado se usarmos o verbo no infinitivo (terminado em "ar", "er" ou "ir"). Exemplo:

É bom resolver esse problema logo!

Terceiro Modoo sujeito será indeterminado quando o verbo estiver conjugado na 3ª pessoa do singular (conjugado com "ele" ou "ela") acompanhado pelo “-se”. Exemplo:

Mora-se muito mal aqui 

Veja que nós usamos um verbo conjugado na 3ª pessoa do singular ("mora") acompanhado do "-se" ("mora-se"). Nesse caso, o sujeito é indeterminado e o "-se" é chamado de índice de indeterminação do sujeito


Sujeito Inexistente

Agora eu vou falar do sujeito inexistente. Leia com calma a explicação porque você precisa ter alguns cuidados para não escorregar nas pegadinhas (veja as observações que eu fiz).

Vamos começar com um exemplo:


 Nevou muito ontem. 





Quem nevou? Bem, nesse caso nós estamos falando a respeito de algo natural, um fenômeno da natureza que ocorre de modo espontâneo. Logo, o sujeito será classificado como “inexistente”, ou então a oração será classificada como "sem sujeito". Fenômenos naturais simplesmente acontecem (não precisam de nenhum sujeito para ocorrerem), principalmente a chuva que cai só quando a gente sai de casa.

Outros exemplos de fenômenos naturais: chover, anoitecer, ventar, amanhecer...

Cuidado: tome cuidado porque o próprio fenômeno natural poderá funcionar como sujeito. Por exemplo: "o vento soprou demais ontem". Nesse caso, quem está realizando a ação de soprar é o próprio vento. Logo, o vento é o sujeito da oração. Outro exemplo: "o dia amanheceu bonito". Nesse caso, "dia" é sujeito. Mais um exemplo: "choveu muito ontem". Opa! Nesse caso, o sujeito é inexistente (ninguém está fazendo a ação de "chover"; é um fenômeno natural).

Cuidado (de novo!): os verbos que expressam fenômenos da natureza também podem ser usados no sentido figurado (ou seja: com um sentido metafórico). Por exemplo: "choveram problemas em minha cabeça". Nesse caso, o sujeito é "problemas" e o verbo "chover" está sendo usado no sentido figurado (não está chovendo de verdade, é apenas uma forma de expressar que eu estou com muitos problemas).

Observação: todos os verbos que não possuem sujeito são chamados de verbos impessoais. Logo, o sujeito inexistente sempre vai acontecer se a oração tiver verbo impessoal.

Observação (outra): além dos verbos que expressam acontecimentos naturais e meteorológicos, existem outros tipos de verbos impessoais que você precisa saber (e quando eles são usados a oração fica sem sujeito). Os principais são:

1) "Haver" e "ser" com o sentido de "existir". Ex: "Há dez pessoas na sala / Eram dez pessoas na sala"

2) "Haver", "fazer" e "ser" indicando "tempo": Ex: "Isso foi há dez anos/ Faz dez anos que isso aconteceu/Agora é uma hora da tarde/São três horas".

3) "Bastar" ou "chegar" indicando ideia de "suficiente" (conjugados no modo imperativo). Ex: "Isso já basta! Já chega de mentiras!"

Resumindo: o "sujeito inexistente" ocorre quando a oração possui um verbo impessoal (fenômeno da natureza e os verbos "haver", "bastar" ou "chegar"). Tenha cuidado com os fenômenos naturais que podem se transformar em sujeitos (sujeito determinado simples). Leia novamente os exemplos que eu dei nas observações. 

Sujeito Implícito (ou Oculto)

O sujeito implícito é tranquilo de ser entendido. Veja o exemplo:


 Falamos com a treinadora de cães ontem. 




 Quem falou com a treinadora de cães ontem?. Resposta: nós. Logo, o sujeito é “nós”. Veja que o "nós" não aparece na oração, mas através da conjugação do verbo ("falamos") chegamos a conclusão de que o sujeito é “nós” (só "nós" pode conjugar o verbo "falar" em "falamos").

Logo, esse sujeito é classificado como “sujeito oculto”: ele não aparece, mas a gente sabe quem é por causa da conjugação do verbo.

Cuidado (de novo?): lembre que se o verbo estiver na 3ª pessoa do plural e o sujeito não aparecer então o sujeito será indeterminado.

E aí? Conseguiu entender tudo? Não dá para entender e gravar tudo de primeira. Vamos, então, fazer uma rápida revisão:

REVISÃO:

Sujeito determinado simples: quando tiver apenas um núcleo.  
Sujeito determinado composto: quando tiver mais de um núcleo. 
Indeterminado: com verbo na 3ª pessoa do plural, ou 3ª pessoa no singular acompanhado do "-se".  
Inexistente: quando o verbo é impessoal. 
Oculto (ou implícito): quando é determinado pela conjugação do verbo.

Observação (mais uma?!): Pronomes interrogativos ou indefinidos também podem funcionar como sujeito. Exemplo:

Alguém destruiu meu tênis. 
Quem caiu na linha do trem?

Veja que o sujeito da primeira oração é "alguém". O sujeito da segunda é "quem".


Tá... e como eu vou decorar tudo isso?

Para ajudar a entender e a fixar os conceitos, eu recomendo que você leia o resumo e faça os exercícios de fixação.

O próximo assunto é "complemento verbal" (também chamado de "objeto").



11 comentários:

  1. COMO SE ESCREVE? VENDE-SE COELHO OU VENDEM-SE COELHOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O correto é VENDE-SE COELHOS - sujeito INDETERMINADO, pois não sabemos precisar QUEM pratica a ação ( se é um homem, uma mulher ou um grupo de pessoas ). COELHOS não é sujeito, pois não pratica a ação de vender e sim o OBJETO DIRETO DO VERBO VENDER (quem vende vende algo, vende-se o que? COELHOS)
      Portanto, não há um sujeito determinado para concordar com o verbo!

      Excluir
    2. VENDEM-SE COELHOS.
      SUJEITO SIMPLES: COELHOS
      O verbo vender, na oração, é TRANSITIVO DIRETO; O SE é pronome apassivador; portanto, o verbo concorda com o sujeito ao qual se refere.

      Excluir
  2. muito bom, me ajudou muito... Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Muito bom saber que existem sites (ou blogs) assim: capazes de esclarecer a gramática sem deixar pistas que ela "possa" ser difícil, porque sabemos que isso não é verdade.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o site, mas eu acho que os exercícios disponveis deveriam ser classificados por assunto, porque se não acumula muito para depois tentar resolve-los. Nâo é por isso que deixarei de voltar ao site, estão de parabéns!

    Abs,

    Hugo. :)

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,estou com uma dúvida?!
    'A Samantha leu um livro de suspense no final de semana passado ."
    Os termos destacados são em analise sintática:

    a)Numeral ,substantivo,preposição e adjetivo

    b)Artigo,substantivo,preposição e substantivo

    c)Objetivo direto

    d)]Adjunto adnominal

    e)NENHUMA DAS ALTERNATIVAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quais são os termos destacados?

      Bem, a análise é esta:

      Sujeito: A Samantha
      Verbo: leu
      Objeto Direto: um livro de suspense

      Dentro do Objeto Direto, são adjuntos adnominais: "um", "de", "suspense"

      Adjunto Adverbial: no final de semana passado

      Só preciso saber quais são os termos destacados.

      Excluir
    2. Ah, e as letras A e B não podem ser a resposta correta porque indicam classificações morfológicas e não sintáticas (o enunciado pede classificação de acordo com a análise sintática). Poste novamente a questão, dizendo quais são os termos destacados.

      Excluir
  6. Pronomes interrogativos ou indefinidos também podem ser sujeito. Exemplo:

    Alguém destruiu meu tênis. Quem foi?

    Veja que o sujeito da primeira oração é "alguém". O sujeito da segunda é "quem".

    -------------------

    Esses sujeito são simples? em qual classificação eles se encaixam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, quando o sujeito for representado por um pronome indefinido ou interrogativo ele será classificado como determinado simples.

      Excluir

Conheça a nossa página no Facebook!