Funções do QUE



Oi!

Hoje nós vamos falar sobre as funções da palavra "que". Porém, você precisa estar por dentro das classes gramaticais, ou seja: você precisa saber o que é substantivo, conjunção, preposição, pronome, interjeição e por aí vai. Se tiver dúvidas nisso então leia primeiro o Roteiro de Estudo Classes Gramaticais, ok? Depois não vai falar que eu não avisei!

De modo geral, o "que" pode funcionar como interjeição, pronome, conjunção, preposição, substantivo, advérbio ou partícula expletiva

Vamos ver cada caso. 


1) INTERJEIÇÃO 

O "que" pode funcionar como interjeição, ou seja: pode ser usado para expressar emoções e estados de espírito (geralmente surpresa, admiração ou espanto).  


Que?! O Astolfo mordeu a treinadora de novo?! Cãozinho teimoso!

Astolfo em seu momento de lazer e de cordialidade com a sua querida treinadora


2) PRONOME

O "que" também pode funcionar como pronome. Se você não lembra o que é um pronome então dê uma olhadinha aqui. Nesse caso, o "que" pode atuar como pronome interrogativo (que camisa você comprou?), exclamativo (que comida boa!), entre outros. Não existe uma classificação única ou oficial: tudo dependerá do contexto. 

Dentre os pronomes, eu destaco que o "que" pode funcionar como pronome relativo, ou seja: funciona como a palavra que retoma algo que foi dito anteriormente. 


Professora, infelizmente o meu cachorro comeu o trabalho que eu fiz. 




Observe que o "que" retoma a palavra "trabalho", funcionando como pronome relativo. Ou seja: o pronome relativo une duas ideias em uma, evitando a repetição da palavra "trabalho". Legal, né?

Ideia 1: O cachorro comeu o meu trabalho. 
Ideia 2: Eu fiz o trabalho.
1 + 2: O cachorro comeu o trabalho que eu fiz. 

3) CONJUNÇÃO

O "que" também pode funcionar como uma conjunção. Se você não lembra o que é conjunção, então dê uma olhadinha aqui

As conjunções são palavras que estabelecem relações entre as orações. Portanto, a conjunção "que" é classificada de acordo com o tipo de relação que ele cria entre as orações. 

Alguns exemplos:

Conjunção consecutiva (expressa consequência): Correu tanto que ficou cansado. 
Conjunção explicativa (explica): Fale baixo que o Astolfo está dormindo. 
Conjunção comparativa (compara): Estou mais irritado que o Ronaldo. 
Conjunção adversativa (oposição): Não adianta mandar que eu não vou fazer.
Conjunção alternativa (expressa alternativa): Que queriam ou que não queiram, eles vão me ouvir. 
Conjunção temporal (indica tempo): Ele pulou de alegria assim que soube da notícia. 

Porém, eu gostaria de destacar aqui o papel da conjunção integrante. O "que" funciona como conjunção integrante quando ele introduz uma oração subordinada. 

Não entendeu? Veja o exemplo:

Jarbas está esperando o voo do cachorro



A parte vermelha da oração é um objeto direto. Vamos transformar, agora, o objeto direto em outra oração (basta colocar um verbo). 

Jarbas está esperando que o cachorro voe

Veja que o objeto direto se transformou numa oração (com o verbo "voe"): é a oração subordinada. O "que" é a palavra que faz a ligação entre a oração principal (Jarbas está esperando) e a parte que se transformou em oração subordinada (que o cachorro voe). Portanto, o "que" é uma conjunção integrante (ele introduz a parte da oração principal que se transformou em oração subordinada). 

Se eu falei grego e você não entendeu nada então você precisa ler o roteiro de estudo sobre Análise Sintática. Lá eu explico tudo desde o início. Clique aqui para ler

4) PREPOSIÇÃO

Já vimos que o "que" pode funcionar como interjeição, pronome e conjunção. Além dessas classes gramaticais, o "que" também pode funcionar como preposição. Um uso bem comum é quando o "que" é usado da mesma forma da preposição "de". Exemplo:

Nós vamos ter de estudar mais.

Nós vamos ter que estudar mais. 

Caso tenha dúvidas sobre preposições, clique aqui

5) SUBSTANTIVO

O "que" também pode ser substantivo. Isso ocorre quando ele aparece com acento (quê) ao lado do artigo indefinido (um). 

Exemplo: "Esse armário é antigo, mas ele tem um quê de modernidade". 

6) ADVÉRBIO 

O advérbio é a palavra que caracteriza o verbo, dando a ele alguma característica. Se tiver dúvidas, dê uma olhada aqui.

O "que" pode ser advérbio de intensidade, ou seja: intensifica a ideia que eu quero transmitir. Exemplo: Que música bem chata (pode ser entendido como: "como essa música é bem chata!"). 

7) PARTÍCULA

O "que" também pode ser uma "partícula". Ele será considerado uma "partícula expletiva" ou "partícula de realce" quando não tiver nenhuma função (ou seja: ele pode ser até arrancado da oração que não vai fazer efeito). Ou seja: ele só serve pra enfatizar ou realçar a ação. 

Astolfo quase que não conseguiu pegar o ônibus. 
(Astolfo quase não conseguiu pegar o ônibus)



REPLAY

Vimos nesse post as 7 funções principais que o "que" pode desempenhar: ele pode funcionar como interjeição, pronome, conjunção, preposição, substantivo, advérbio ou partícula expletiva

Legal, né? 

Veja também:


Um comentário: